Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Luxemburgo enfrenta o irmão Pery

Depois de fazer um desabafo e atribuir a série de maus resultados do Cruzeiro neste início de ano à falta de "alegria" e "vontade" dos jogadores, o técnico Vanderlei Luxemburgo espera que o time reedite amanhã, às 15h, diante do Mamoré, em Patos de Minas, o futebol vitorioso da temporada passada. Por isso mesmo, não pretende dar moleza ao irmão mais velho, Valdonier, o Pery Luxemburgo, que dirige o time do interior. Pela primeira vez, em pleno sábado de Carnaval, dois representantes da família Luxemburgo irão se enfrentar. No pequeno estádio Waldomiro Pereira, o consagrado Vanderlei encara a equipe do irmão com a obrigação de conseguir uma vitória. Caso não engrene no Estadual, o Cruzeiro corre o risco de ficar de fora das semifinais. Atualmente, o time celeste ocupa apenas a nona posição, sete pontos atrás do líder América-MG, que tem uma partida a mais. Em cinco partidas, conquistou penas sete pontos. "É a primeira vez, uma coisa legal. Nunca imaginei que o meu irmão pudesse se tornar um treinador", comentou o técnico cruzeirense. "Tomara que ele seja feliz, mas não amanhã. Amanhã, sinto muito, mas o Cruzeiro precisa de ganhar". Para apagar a má impressão deixada no empate em 1 a 1 com o Santos Laguna, na terça-feira, no Mineirão, pela Libertadores, Vanderlei promete um time de forte marcação diante do adversário. Ele, porém, não poderá contar com o lateral-esquerdo Leandro e o volante Felipe Melo, que continuam entregues ao Departamento Médico. Sandro e Augusto Recife, respectivamente, serão os substitutos. Pery Luxemburgo, que chegou recentemente dos Estados Unidos, onde permaneceu por três anos dirigindo uma equipe de New Hampshire, também terá pelo menos dois desfalques no jogo de amanhã. O lateral-esquerdo Fernando e o atacante Zezinho, lesionados, foram vetados. Sua equipe está em sétimo lugar na tabela de classificação, com nove pontos ganhos em seis jogos. Ao retornar ao Brasil, o técnico do Mamoré passou por um rápido estágio com o irmão na Toca da Raposa antes de assumir a equipe de Patos de Minas. "Pena que ele começou um pouco tarde (Pery tem 53 anos, dois a mais que Vanderlei), mas tem tempo ainda para, de repente, a carreira dele decolar. O que precisar de mim para que eu possa com a minha experiência orientá-lo para ele poder caminhar bem com certeza eu vou estar à disposição", disse o treinador cruzeirense, que foi o "avalista" da contratação de Pery junto aos dirigentes do Mamoré. Vanderlei confessa que ficou surpreso quando soube que o irmão havia decidido ser técnico. Ele assumiu as categorias de base do Vitória Futebol Clube, em 1996, e depois o profissional. No seu currículo conta ainda uma passagem rápida pelo Taquaritinga (SP), em 1999, quando o já consagrado Vanderlei descobriu que Pery havia se aventurado pela carreira de técnico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.