Luxemburgo entre Palmeiras e o Santos

Palmeiras ou Santos. O destino do técnico Vanderlei Luxemburgo será definido nesta quinta-feira ou no máximo até o fim de semana. A preferência do treinador é, de longe, o Palmeiras, mas o presidente Mustafá Contursi não aceitará pagar, em nenhuma hipótese, o mesmo salário que ele recebia no Parque São Jorge: R$ 180 mil. Outro empecilho é o número exagerado de profissionais de sua comissão. Terá de abrir mão de vários colegas, como o preparador de goleiros Cantarelle e o auxilar Valdir de Moraes, se quiser voltar ao Alviverde. Mas, como Luxemburgo quer muito dirigir o time de Palestra Itália e por estar desvalorizado após a demissão do Corinthians, pode até aceitar as imposições da diretoria.Um conselheiro ligado ao presidente contou que o treinador andou telefonando para vários amigos do Palmeiras nos últimos meses para sondar a possibilidade de voltar a trabalhar no clube. Já sabia que estava sem prestígio no Corinthians.Mustafá não gosta do temperamento de Luxemburgo e já chegou a se desentender com o técnico. Mas, além de considerá-lo bom profissional, o dirigente está sofrendo pressão de vários conselheiros para contratá-lo.No Santos, os comentários são grandes de que Luxemburgo já está até acertando o salário com o presidente Marcelo Teixeira. Cabralzinho dificilmente permanecerá no comando da equipe de Vila Belmiro.O médico Marco Aurélio Cunha será o gerente de Futebol do clube, o que indica mais um fator favorável à chegada do ex-corintiano. Os dois são ótimos amigos. O problema é que Luxemburgo deixou muitos inimigos na Vila e irritou torcedores e conselheiros com a saída precoce, sem cumprir o contrato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.