Luxemburgo escala os 'preferidos' de Kléber Pereira

Tabata e Marcos Aurélio auxiliam o atacante diante do Goiás; Luxemburgo desmente atrito com o meia Pedrinho

Sanches Filho, especial para o Jornal da Tarde

25 de outubro de 2007 | 19h58

Kléber Pereira terá Marcos Aurélio e Rodrigo Tabata como companheiros de ataque, neste sábado à noite, contra o Goiás, na Vila Belmiro. Embora evitasse entrar em rota de colisão com o técnico Vanderlei Luxemburgo, o centroavante, há sete jogos sem fazer gols, jamais escondeu a sua preferência pelos dois novos titulares e inclusive afirmou que considera Marcos Aurélio o melhor jogador do Santos.   Enquanto formou dupla com Marcos Aurélio, Kléber Pereira teve um excelente aproveitamento, marcando 10 gols em 12 jogos. Depois, com a constante troca do segundo atacante, entrando Renatinho ou Moraes, deixou de marcar. "Prefiro não falar se prefiro jogar com Marcos Aurélio, Renatinho ou Moraes porque são todos grandes jogadores e quem escala é o professor", esquivou-se Kléber Pereira.   Essas não são as únicas mudanças no time santista. Fábio Costa, gripado, não participou do coletivo de ontem à tarde, no Centro de Treinamentos Rei Pelé, e se não estiver recuperado até amanhã à noite, será substituído por Felipe. Dionísio foi mesmo improvisado na lateral-direita por causa das suspensões de Alessandro e Baiano. Além disso, Luxemburgo está em dúvida entre Adoniran e Adriano para ser o primeiro volante.   A escalação de Wilson de Souza Mendonça para ser o juiz do jogo deste sábado deixou Luxemburgo preocupado. "Falei do juiz jovem e inexperiente do jogo contra o Figueirense e de repente escalam um juiz experiente, mas complicado. Tomará que ele não traga nenhum prejuízo para as duas equipes. Pode ser um juiz experiente mas talvez lhe falte competência." Luxemburgo desconfia que a Comissão de Arbitragem da CBF tenha escalado Wilson de Souza Mendonça como represália em razão de sua reclamação contra a arbitragem do carioca Péricles Bassols Pegado Cortez, em Santa Catarina. "Espero que ele (Wilson) não seja confuso como na maioria das vezes", disse o técnico.   O último grande erro de Mendonça foi no Campeonato Pernambucano deste ano, quando deixou de dar o gol do Vera Cruz contra o Central. Como a bola furou a rede, ele deu tiro de meta.   Luxemburgo abriu a coletiva de imprensa, após o treino desta quinta-feira à tarde, com um pronunciamento para desmentir que o afastamento de Pedrinho tenha sido provocado por uma briga entre ambos. "Ele teve uma queda técnica e resolvi não leva-lo para o jogo contra o Figueirense. Outros jogadores passaram a sua frente. Foi uma decisão técnica e ponto final." Depois Luxemburgo disse que gostou da produção de Pedrinho no treino, o que pode significar que ele voltará a ficar na reserva.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasileirão Série ASantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.