Luxemburgo está perto do Palmeiras

Vanderlei Luxemburgo está perto do Palmeiras e pode ser anunciado como novo técnico do time nos próximos dias. Faltam alguns detalhes para que ele e a diretoria entrem em acordo. Agora, o único empecilho é o salário, mas, mesmo assim, as diferenças diminuíram bastante. Em relação à comissão técnica, ele já abriu mão de trazer seus colegas, fato que adiantou bastante as negociações. O presidente Mustafá Contursi avisou que "pagar R$ 180 mil a um treinador, nem pensar". Luxemburgo recebia esse valor no Corinthians, mas já está admitindo uma redução drástica. Sabe que se desvalorizou muito ao ser demitido do Parque São Jorge por telefone e trabalhar num clube como o Palmeiras seria grande oportunidade para recuperar o prestígio. "Dos treinadores disponíveis, ele é o único que realmente agradaria à torcida", lembrou um conselheiro do Palmeiras, que disse que, na diretoria, seu nome é praticamente unanimidade. "Mas ele teria de trabalhar apenas no campo, nada de manager ou fazer algum trabalho de diretor", comentou um influente dirigente. Curiosamente, hoje à noite, a diretoria alviverde esteve no restaurante La Venu, cujo proprietário é Luxemburgo, para comemorar a conquista do título paulista de futebol feminino. Se o acerto com Luxemburgo não ocorrer, o Palmeiras assediará Geninho, do Atlético-PR, técnico que também está na lista do rival Corinthians. Outro nome que surgiu nos últimos dias é o de Giba, do Etti Jundiaí. Em outubro, após a demissão de Celso Roth, ele chegou a ser sondado pela diretoria, mas não demonstrou vontade de deixar o Etti no meio do Campeonato Brasileiro da Séria B. Sebastião Lapola, diretor de Futebol, disse que o objetivo é anunciar o novo treinador ainda esta semana, mas fez uma ressalva. "Se não conseguirmos, temos até o dia 1.º, porque o elenco só volta aos treinos no dia 3." O clube continua disputando com o Corinthians a contratação do atacante Rodrigo, do Botafogo-RJ. E ainda pode ter Adhemar, do Stuttgart. O jogador deve chegar ao Brasil no sábado, para passar o fim do ano no País. "Já havia até acertado o salário, mas não houve acordo entre o Palmeiras e o Stuttgart."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.