Luxemburgo estréia em jogo de 6 minutos

Seis minutos. Esse será o tempo que o novo técnico do Real Madrid, Vanderlei Luxemburgo, terá para mostrar serviço em sua estréia com a equipe nesta quarta-feira no estádio Santiago Bernabéu contra a Real Sociedad. No dia 12 de dezembro, a partida foi interrompida e o estádio evacuado aos 39 minutos do segundo tempo depois de um alerta de uma ameaça de bomba.Apesar de contar com apenas seis minutos, Luxemburgo afirma que pode vencer e insinua que está preparando uma surpresa para modificar o placar de 1 x 1, que prevalecia no momento da interrupção. "O normal é que o placar seja mantido, mas estou certo de que os dois técnicos vão fazer algo para tentar mudar o resultado. Nós vamos fazer algo para tentar mudar o placar", afirmou o brasileiro, nesta terça-feira em uma conferência de imprensa. "O futebol se pode jogar em dois, três ou noventa minutos. O único que posso dizer é que teremos que fazer coisas diferentes às que faríamos se jogássemos 90 minutos", disse, alertando que ele não é "mágico", mas um treinador. "A magia deve ser feita por outras pessoas", completou.Luxemburgo ainda evitou divulgar a escalação da equipe para a partida relâmpago desta quarta-feira e ainda se recusa a detalhar sua estratégia para os seis minutos. "Não direi o sistema que vamos utilizar porque seria facilitar as coisas para a outra equipe", disse.O brasileiro deixou claro que jogo desta quarta-feira é apenas o começo de seu trabalho no Real e que irá brigar por todos os títulos que está disputando: o campeonato espanhol, a Copa do Rey e a Liga dos Campeões da Europa. A primeira partida de 90 minutos será no fim de semana, no derby local entre o Real e o Atletico de Madrid.Esforço - Ocupando apenas a quinta colocação no campeonato espanhol, o Real passa por um verdadeiro tratamento de choque desde a chegada de Luxemburgo e do diretor de futebol, Arrigo Sacchi. Adotou treinos em dois períodos, intensificou a preparação física dos jogadores, já aplicou um castigo à estrela David Beckham e ainda colocou os atletas em regime de concentração. "Para mim, treinar grandes estrelas não supõe um problema, porque é algo que já fiz no Brasil", garantiu, admitindo que os jogadores, embora "felizes", estão "um pouco cansados".Em uma entrevista publicada nesta terça-feira no jornal espanhol Marca, o treinador afirmou que Ronaldo será um dos que mais vai sofrer com o estilo de treinamento que será adotado. "Ronaldo vai ter que trabalhar muito. Ele não gosta muito de trabalhar a parte física, mas terá de fazer", disse, deixando claro que a amizade entre ele, o atacante e Roberto Carlos não significará que esses dois jogadores terão regalias.Mais tarde, na entrevista coletiva, Luxemburgo amenizou: "Ele (Ronaldo) está fazendo um esforço muito grande, como o resto de seus companheiros". Luxemburgo nega que deva ser duro para treinar tantas estrelas, mas apenas profissional. "Vim para trabalhar e para fazer com que os jogadores tenham condições de ganhar as partidas. O Real Madrid contratou um treinador, não um ditador", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.