Divulgação/ Palmeiras
Divulgação/ Palmeiras

Luxemburgo rebate comparações do Palmeiras atual com o de 1996: 'Outro momento'

Em três jogos no Campeonato Paulista, time alviverde conseguiu duas goleadas por 4 a 0

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2020 | 04h30

No Campeonato Paulista já foram três jogos e duas goleadas por 4 a 0. Tirando o empate sem gols no clássico com o São Paulo, o Palmeiras atropelou o Ituano e o Oeste no torneio Estadual e fez oito gols. O excelente início foi suficiente para o atual time ser comparado por parte da mídia ao ataque dos cem gols de 1966, da primeira passagem de Vanderlei Luxemburgo pelo clube alviverde. O próprio treinador, no entanto, pediu para que não se façam comparações.

"Não vamos fazer comparação, é outra época, outro momento. Houve muitas mudanças com relação à maneira de jogar, à intensidade do jogo, quilômetros percorridos, qualidade dos jogadores. Vamos querer fazer gols sempre, minhas equipes sempre buscam fazer gol. Não gosto muito de negociar resultado", afirmou o treinador.

Com dinheiro da Parmalat, o Palmeiras formou um grande time em 1996, com um ataque formado por Rivaldo, Djalminha, Müller e Luizão. No Campeonato Paulista, disputou 30 partida em turno e returno por pontos corridos. A equipe faturou o troféu com 28 pontos de vantagem para o segundo colocado. No Estadual daquele ano, fez 102 gols.

O atual elenco não tem tantas estrelas. O destaque na goleada sobre o Oeste foi Willian, com três gols. "É um grande jogador, joga diferente do Luiz Adriano, que sai da área também, mas não sai tanto quantoele. Ele abre espaço para o pessoal meter bola, sempre jogou assim. Foi bom, porque mostra que temos duas situações. Podemos até usar os dois juntos, um mais próximo da área. Gostei muito da intensidade que a equipe botou no jogo, porque não podíamos entrar no jogo deles, de cadenciar. Se termina 0 a 0 o primeiro tempo, vão lá e acham um gol numa bola perdida, aí complica. Tivemos a felicidade de fazer o gol e continuamos mantendo a intensidade do jogo", declarou Luxemburgo.

O treinador também sabe que essa equipe ainda tem muito a evoluir. "Não podemos nos iludir porque conseguimos os resultados, achar que estamos preparados para decidir uma competição que vai ser definida em fevereiro e março, Libertadores também. Temos que melhorar muito a qualidade física, a qualidade tática e a qualidade técnica. Temos que avançar bastante. Esses resultados não podem iludir, o torcedor fica satisfeito, mas a gente sabe que estamos distantes e precisamos trabalhar bastante", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.