Luxemburgo faz 1.º treino coletivo e coloca time no 4-4-2

Durante o trabalho, técnico pega no pé do setor defensivo, com Dininho e Makelele, e do chileno Valdívia

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

09 de janeiro de 2008 | 18h22

Os jogadores do Palmeiras já começam a sentir o poder de Vanderlei Luxemburgo. E se alguém estava acostumado ao jeito tranquilão de Caio Júnior, com certeza levaram um susto nesta quarta-feira. No primeiro coletivo do ano, o novo treinador palmeirense não poupou palavrões e broncas aos jogadores. Sobrou até para o craque Valdivia.  Veja também:  Palmeiras leva susto, mas vence pela Copa São Paulo Jr.  Coritiba recusa proposta do Palmeiras por jovens talentos Luxemburgo chamou atenção principalmente do setor defensivo. O volante Makelele e o zagueiro Dininho foram os alvos prediletos do comandante. "Ele é um treinador que cobra bastante", admitiu Valdivia. "É o chefe, quem manda. Temos de escutar e obedecer." Luxemburgo começou a trabalhar com o elenco alviverde na quinta-feira. E logo no início os atletas perceberam que o trabalho seria diferente. Caio Júnior, o antecessor, dificilmente chamava a atenção dos jogadores - não, ao menos, do jeito enérgico de Luxemburgo. Muitos conselheiros do clube reclamavam, inclusive, da calma de Caio Júnior, e queriam um treinador que cobrasse mais. Ontem, Luxemburgo mostrou seu estilo. Valdivia garante que não se assustou com a forma de trabalho de Luxemburgo, que já pediu ao chileno para evitar problemas durante as partidas - o Mago foi um dos mais indisciplinados do time no ano passado e chegou a levar quatro jogos de suspensão na reta final do Campeonato Brasileiro, por agredir dois jogadores do Vasco. "Estou com o ouvido aberto para escutar. Vocês sabem que não sou rebelde, perdi a cabeça dentro de campo e isso não vai mais acontecer. O torcedor e o Luxemburgo podem ficar tranqüilos." Sempre de bom humor, o chileno brincou com o fato de normalmente perder a calma nos jogos. E falou como vai melhorar seu comportamento. "Estou indo na igreja, batendo um papo com o padre, a família colocou um psicólogo para mim", comentou, para depois desmentir, na risada. "A cabeça está melhor. Certeza que agora vou jogar mais do que ficar de fora."  No treino de ontem, Valdivia atuou mais no ataque, ao lado de Alex Mineiro. "Ainda é sabe para definir o time. Eu gosto de ficar mais perto da área, do gol", falou. Nesta quinta-feira, às 16 horas, o Palmeiras fará hoje um jogo-treino contra a Francana, em Atibaia. BARRADOS O presidente do Coritiba, Jair Cyrini dos Santos, avisou que não vai liberar os três jogadores (Henrique, Pedro Ken e Keirrison) que o Palmeiras quer. "Nós recusamos a proposta", falou. Representantes da Traffic (parceira do clube paulista) estiveram ontem em Curitiba e ofereceram uma quantia em dinheiro, além de mais três atletas. Apesar das dificuldades, o Palmeiras não vai desistir de contratar os jogadores do Curitiba. Atualizado às 20 horas para acréscimo de informação

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasVanderlei Luxemburgo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.