Luxemburgo festeja: "Sou uma estrela"

Vanderlei Luxemburgo deixou o gramado do estádio Teixeirão, em São José do Rio Preto, 30 segundos antes do apito final do árbitro Leonardo Gaciba da Silva. Não participou da festa dos jogadores depois do triunfo por 2 a 1 sobre o Vasco, mas tem consciência de que foi determinante para a conquista do título do Santos. "Sou uma estrela. Resolvi problemas e trabalhei muito", afirmou o treinador, sem falsa modéstia. "A torcida me respeita, mesmo a são-paulina, corintiana e palmeirense, pelo que já conquistei."Em meio à euforia pela conquista de seu quinto título brasileiro - recorde que fez questão de oferecer à família -, Luxemburgo aproveitou para alfinetar os críticos. "Volto a dizer que esse título foi o mais difícil da minha carreira. Fui criticado, disseram que tinha arrumado uma desculpa caso não ganhasse."Rebateu, também, os comentários de que o Santos só foi campeão porque o Atlético-PR falhou nos momentos decisivos. "Fizemos nossa parte quando ganhamos do São Caetano. Para ser campeão não basta liderar por algumas rodadas, mas chegar ao final em primeiro", lembrou. Para o técnico, a vitória sobre o Azulão por 3 a 2, no ABC, foi o jogo fundamental para o título. "Mostramos força e ganhamos o direito de depender apenas dos nossos resultados."O discurso de Luxemburgo não mudou quando falou do futuro. Garantiu não ter nada acertado com o Corinthians - leia-se MSI. "Ainda não resolvi o que fazer, mas tenho o direito de decidir o que é melhor para mim", disse o treinador, procurando deixar portas abertas com os dirigentes da Vila Belmiro. "O Santos tem a opção de contar comigo em 2005."Político, tentou apagar rusgas que ainda tem com a torcida e disse que a conquista redime a conturbada passagem pelo Santos em 1997, quando deixou o clube três meses antes do fim do contrato. "Jogaram moedas em mim, fui criticado, mas não guardo mágoas. O episódio mostrou o quanto os torcedores gostam de mim", afirmou. E, onde quer que trabalhe, Luxemburgo planeja ampliar a galeria de conquistas. "Este Brasileiro foi difícil, mas já ficou na história. O próximo título sempre será o mais importante", avisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.