Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Luxemburgo: 'Futebol é cheio de fofoca e de frescura'

Treinador critica jornalistas, diz que ninguém tem 'sua coragem' e afirma que o Palmeiras brigará pelo título

31 de maio de 2009 | 21h06

O técnico Vanderlei Luxemburgo mostrou irritação na coletiva após o empate do Palmeiras diante do Grêmio Barueri, fora de casa, pelo Campeonato Brasileiro. E a bronca do treinador foi principalmente com os jornalistas. Ele não gostou da repercussão das declarações após o jogo diante do Nacional (URU), pela Copa Libertadores, quando disse que o alviverde não possuía craques capazes de desequilibrar como Nilmar e Ronaldo.

 

Veja também:

link Obina desencanta, mas Palmeiras só empata com o Barueri

especial Visite o canal especial do Brasileirão

especial Jogue o Desafio dos Craques

lista Brasileirão - Calendário

tabela Brasileirão - Classificação

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão 

 

"O futebol é cheio de fofoca e de frescura", disparou Luxemburgo. "Quando você fala a verdade, é complicado. Eu não disse que meus jogadores não prestam, mas sim que não possuíam características para o jogo contra o Nacional. O Diego Souza e o Keirrison têm características diferentes. Naquele jogo eu precisa de um Rincón, de um Mazinho, de um César Sampaio, por exemplo, e não posso dizer que o Pierre é ruim, pois ele não tem essa  característica."

 

Luxemburgo ainda disse que fez um dos melhores trabalhos de sua vida diante dos uruguaios. "A atuação contra o Nacional foi um dos grandes trabalhos. Nenhum treinador do Brasil tem a coragem de trocar dois jogadores com 20, 25 minutos. O futebol é o único esporte coletivo em que você não tem tempo técnico para corrigir. Ninguém faz as mudanças pelo fato de o time estar errado, mas porque está enxergando algo que não está fluindo bem."

 

Sobre o Campeonato Brasileiro, Luxemburgo disse que os pontos perdidos contra o Barueri podem fazer falta. "Com todo respeito ao Barueri, era para ganharmos o jogo deste domingo. O Barueri não vai disputar o título, e sim lutar para não cair. Agora temos dois jogos em casa e precisamos das vitórias. Mas o campeonato é longo e o Palmeiras vai brigar pelo título."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.