Luxemburgo: Marcelinho será punido

Revoltada com a expulsão ainda no primeiro tempo, a torcida corintiana não perdoou o meia Marcelinho Carioca, hoje à tarde, no Pacaembu. Ele deixou o gramado sob os gritos de "burro, burro" e a situação só não ficou pior porque o árbitro Wilson de Souza Mendonça não marcou o pênalti cometido por ele no lance com o lateral-esquerdo Fabiano, que provocou o cartão vermelho. Já Ricardinho, que desperdiçou uma penalidade, foi poupado das vaias. Reflexo, ainda, do gol que marcou no fim de semana contra o Santos.Nos vestiários, após a partida, o técnico Wanderley Luxemburgo foi categórico. "O Marcelo vai ser punido e sou eu quem vai decidir de que forma", afirmou, irritado. "Eu não quero saber de ver vídeo nenhum, a questão é que não posso ter um atleta expulso em uma partida decisiva." Mas o técnico assegurou que o meia vai jogar no domingo. "Já fomos punidos hoje e não vou permitir que o Corinthians seja prejudicado novamente", garantiu, ressaltando que na partida de hoje não utilizou o ponto eletrônico, que ficou famoso na semifinal do Campeonato Paulista, contra o Santos.Marcelinho, por sua vez, creditou o fato a uma "rixa" antiga que mantém com Fabiano. "Desde a época em que eu jogava no Rio nós temos problemas", observou. "Hoje ele já veio para cima de mim ironizando e rindo." Sobre a punição que vai receber, o jogador dissimulou. "Não estou preocupado com isso. Vinha me comportando bem há um bom tempo e só aconteceu esse problemas por causa dele (Fabiano)." Já os jogadores do Corinthians tentavam justificar a atitude do companheiro. O lateral André Luís não culpou Marcelinho. "Eles se enroscaram na linha de fundo e o jogador do Atlético segurou o pé do Marcelo para retardar o lance. Ele (Marcelinho) apenas tentou se livrar disso", afirmou.Já do lado paranaense, as críticas mais fortes vieram do zagueiro e capitão Nem, que conhece o meia desde o tempo em que defendia o São Paulo. "Todo mundo já sabe como o Marcelinho é. Não é preciso dizer mais nada", disse.Decisão - Os ingressos para a primeira partida da final do Campeonato Paulista, domingo, em Ribeirão Preto, já estão esgotados. O jogo, primeiramente marcado para às 16 horas, vai começar às 15 horas, por causa da crise de energia elétrica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.