Luxemburgo minimiza quebra de tabu pessoal em Bragança

Bastante tranqüilo, o técnico do Santos, Vanderlei Luxemburgo, deixou o gramado do Estádio Marcelo Stefani satisfeito pela vitória sobre o Bragantino, por 3 a 2. Nem ligou para o fato de esta ter sido sua primeira vitória em Bragança Paulista desde os tempos áureos do clube, no final dos anos 80. Antes ele já tinha perdido no estádio dirigindo Palmeiras, Santos e Corinthians.?O mais importante foi manter a liderança isolada do Campeonato Paulista?, resumiu Luxemburgo. O Santos, agora, soma 12 pontos, com um jogo a mais que os vice-líderes Corinthians, Palmeiras e Noroeste, todos com nove pontos e também com 100% de aproveitamento.Apesar de sentir fortes dores no joelho, o meia Cléber Santana garantiu que não vai ficar fora do time diante do Guaratinguetá, no domingo. Ele já tem cinco gols e acha que encontrou o lugar perfeito para aproveitar as jogadas de seus companheiros. ?Vou tomar remédios e estarei no jogo de qualquer maneira?, prometeu.De forma geral, os jogadores santistas reclamaram muito da grama alta. O experiente zagueiro Antônio Carlos, de 37 anos, se viu obrigado a explicar a falha gritante no gol do Bragantino. ?A bola enroscou na grama alta e eles aproveitaram. O certo era eu ter dado um chute para fora?, afirmou, reconhecendo o erro. Na tentativa de recuar para Fábio Costa, o rápido Everton roubou a bola e tocou para a finalização de Alex Afonso.O meia Zé Roberto justificou sua atuação apagada pela forte marcação adversária. ?Sinceramente, o rapaz que estava me marcando não me deu espaço?, reconheceu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.