Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Luxemburgo minimiza reclamação de Guerra sobre falta de espaço no Palmeiras

Técnico diz compreender queixa do venezuelano sobre falta de espaço no elenco e prefere não rebater

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

07 de maio de 2020 | 10h58

O técnico Vanderlei Luxemburgo, do Palmeiras, minimizou na quarta-feira a reclamação do meia venezuelano Alejandro Guerra sobre a falta de oportunidades no clube. Em entrevista à imprensa de seu país, o jogador havia dito que se sente desvalorizado por ter de treinar em horários alternativos aos da equipe principal e sem perspectiva de ser escalado no time.

Durante entrevista coletiva virtual, Luxemburgo disse compreender a reclamação de Guerra. "São declarações que serão normais no futebol e não é uma declaração que me incomoda. É um direito dele externar seu ponto de vista", comentou o treinador. "Vi essa declaração tantas e tantas vezes na minha vida de futebol profissional que não é novidade para mim. Não tenho que discutir", completou.

Em conversa com o podcast venezuelano El Drink Team, Guerra afirmou que merece mais respeito no clube. "Estava treinando à parte, em outro horário. Isso não se faz com ninguém, é uma falta de respeito, em todos os sentidos da palavra", disse. "É uma falta de respeito comigo. Ninguém merece isso. Isso me deixa triste, me faz não confiar no meu potencial, no meu futebol. O que me dá forças é ficar com minha família em casa", acrescentou.

Guerra chegou ao Palmeiras no início de 2017, em transferência no valor de R$ 10 milhões. O último jogo dele pelo clube foi em dezembro de 2018, ano em que pouco atuou e passou a maior parte do tempo como reserva. Em 2019, foi emprestado ao Bahia durante o segundo semestre e entrou em campo pela última vez em 24 de novembro. No início de 2020, o venezuelano se reapresentou ao time alviverde.

O meia tem contrato até dezembro e recentemente chegou a receber sondagens de outras equipes. No entanto, com a paralisação pela pandemia do novo coronavírus está sem perspectiva no momento. Guerra revelou na entrevista que manifestou ao clube o interesse de ser negociado. Por estar perto do fim do vínculo, a partir de julho ele pode assinar pré-contrato com outra equipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.