Luxemburgo nega 'soberba' e prega respeito ao Boavista

Preocupado com o favoritismo do Flamengo para a decisão de domingo, o técnico Vanderlei Luxemburgo pregou respeito ao Boavista, adversário da final da Taça Guanabara, e negou o clima de "já ganhou" no clube da Gávea.

AE, Agência Estado

26 de fevereiro de 2011 | 11h03

"O que adianta ficar invicto e entrar em campo no domingo com soberba?", questionou o treinador, com a intenção de reduzir o excesso de confiança dos seus jogadores. "Temos, sim, que respeitar o adversário. O Boavista tem todo mérito, já que fez uma bela campanha. Por exemplo, seu último resultado antes do jogo contra o Fluminense, contra o Nova Iguaçu, fora de casa, foi muito bom", ressaltou.

Para evitar uma decepção no domingo, Luxemburgo conta com a motivação do principal jogador do time, Ronaldinho Gaúcho. O treinador admite que o meia ainda não empolgou a torcida, mas aposta em uma atuação decisiva na final.

"Ele está numa crescente, motivado e alegre. Depois de tantos anos fora, com conceitos táticos diferentes, é complicado. A volta da Europa sempre traz um pouco de dificuldade. É normal. Quando o Júnior voltou ao Flamengo, levou bastante tempo para ser o Júnior de 92. Ele teve dificuldade e chegou a ficar no banco. Em 92, readaptado, foi o maestro", comparou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFlamengoLuxemburgo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.