Luxemburgo paga jantar para jogadores

Vanderlei Luxemburgo está fazendo exatamente o contrário de seu antecessor no Palmeiras, Celso Roth. Preocupado em unir o grupo para que ninguém fique insatisfeito e o rendimento do time não caia - a falta de afinidade entre comissão técnica e jogadores derrubou a equipe e Roth no ano passado -, ele fez questão de oferecer um jantar de confraternização para todo o elenco, na noite de terça-feira. O encontro ocorreu em seu restaurante, o La Venu, em Perdizes, e contou, também, com a presença de familiares dos palmeirenses. "As pessoas passam boa parte do tempo no ambiente de trabalho e, por isso, têm de se gostar, têm de se conhecer", afirmou o treinador, explicando a razão do jantar. "As pessoas têm de trabalhar felizes para poder ter bom rendimento." Luxemburgo sempre utilizou o trabalho psicólogico nas equipes que dirige. Sabe que, no futebol, o bom ambiente é fundamental para o desempenho dos atletas em campo. Roth não tinha essa preocupação e acabou perdendo o controle. Vários jogadores admitem que não gostavam do ex-treinador. "Ele nunca estava satisfeito com nada, era irritante", observou um atleta, que preferiu não ser identificado. O grupo aprovou a iniciativa de Luxemburgo e até sugere novos encontros. "Achei interessante, porque a gente passou a conhecer também os familiares dos jogadores - irmãos, pais, mulher", analisou o meia Alex. "Foi muito legal", resumiu o zagueiro César, que não perdeu a oportunidade de elogiar o restaurante do chefão. "Comi uma carne de altíssimo nível." O ambiente no elenco é bem diferente daquele do ano passado, quando os próprios jogadores chegavam a trocar acusações. A boa campanha no Torneio Rio-São Paulo, do qual o time é líder, com 22 pontos, mantém o bom astral no grupo. Hoje, o Palmeiras, que entrou em campo com um time misto, venceu a Mauaense por 4 a 1, em jogo-treino realizado na Academia de Futebol. Os gols foram marcados por César, Adriano (2) e Adauto. Luxemburgo reclamou bastante de reportagens publicadas por alguns órgãos de imprensa, segundo as quais o Palmeiras está com ciúme do São Paulo por causa dos elogios à equipe do Morumbi. "Alguns são mentirosos, ninguém falou que estava com ciúme do São Paulo", esbravejou. "Por isso, acho que precisamos contratar um assessor de Imprensa."

Agencia Estado,

13 Março 2002 | 20h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.