Luxemburgo pede concentração total

Bem que o técnico Vanderlei Luxemburgo gostaria de enfrentar hoje o Corinthians numa posição mais cômoda na tabela de classificação do Brasileiro. Ele procurou nesta semana trabalhar melhor a cabeça de seus jogadores para conseguir um equilíbrio entre a necessidade de vencer o clássico a qualquer preço e a tranqüilidade para o grupo não sentir tanto a pressão de correr atrás do Atlético-PR. Por isso, quer concentração total na partida.Agência Estado - Qual foi o peso real da perda da liderança para o Atlético-PR? Vanderlei Luxemburgo - A equipe estava na liderança havia muitos jogos e estávamos sendo pressionados pelo Atlético paranaense. Uma parte da imprensa já colocava o adversário como favorito e aí veio a derrota para o Internacional, que trouxe um desgaste emocional, psicológico para dentro da equipe. Minha preocupação era ganhar do Guarani e a expectativa era de que não íamos jogar bem porque estávamos numa situação desconfortável. Agora já está tudo centralizado novamente.AE - É melhor jogar antes que o concorrente, como acontece nesta rodada? O jogador sabe que vai jogar uma vez primeiro, outra depois. Temos de estar preocupados com o campeonato, que não está definido. Se tivermos um empate ou um tropeço contra o Corinthians, faz parte de um clássico e não temos de ficar preocupado se jogamos antes ou depois.AE - A situação do Santos não ficou complicada?O Atlético foi competente porque passou à nossa frente e se for até o final assim, parabéns ao Atlético. Mas o campeonato está aí, vivo para todo mundo.AE - Vai ser um clássico de casa cheia, como você sempre pede para o torcedor...Mas não pode ser só no clássico. O Brasil ainda vive na cultura de que vai ter quarta-de-final, semifinal e final, mas isso não mais existe é preciso ajustar à realidade do campeonato de ponto corrido. Todos os jogos são decisivos, embora alguns possam ser mais importante pela tabela. Por isso, o torcedor tem de entender que acabou o esperar a grande final. Tem agora de guardar uma graninha, pelo preço que está, pela nossa realidade econômica. Mas quero ver a hora em que boletos serão vendidos antecipadamente.AE - É difícil trabalhar a cabeça dos jogadores para que suportem essa pressão toda num clássico que o Santos precisa vencer? Nós não podemos pensar só nesse jogo. Temos de fazer uma projeção de campeonato. Nós sabíamos que teríamos dentro da competição o São Paulo, o Corinthians, o Flamengo e projetamos a competição. Gostaria de ter chegado na condição de jogar contra o Corinthians melhor situado, mas infelizmente não deu porque as coisas se apresentaram de uma forma diferente para nós.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.