Luxemburgo perdoa Ana Paula e rebate acusações de rivais

Quando Carlinhos fez o gol de empate do Santos no clássico contra o São Paulo (1 a 1), nos acréscimos, Vanderlei Luxemburgo gritou e pulou junto à linha lateral do campo como se tivesse conquistado mais um título de campeão na sua vitoriosa carreira. Seu contentamento foi tão grande que nem mesmo o erro da auxiliar Ana Paula Oliveira, no gol anulado de Jonas, e as acusações de Leandro, de que ele manda seus jogadores cometer faltas desleais, conseguiram mudar o seu bom humor. "Não acredito que o erro da Ana Paula tenha sido de propósito. Num jogo acontecem erros de detalhes como o dela. No gol do São Paulo, nossa defesa falhou por falta de atenção", disse o técnico, lembrando que auxiliar é uma das melhores da arbitragem brasileira e que a sua carreira é marcada por boas atuações. Ao saber que Leandro saiu de campo acusando-o de mandar seus jogadores cometerem faltas maldosas, especialmente Antônio Carlos, Luxemburgo lembrou que foi ele quem foi buscar Leandro, com Doni e Luciano Ratinho, para o Corinthians no Botafogo, de Ribeirão Preto. "Nunca mandei bater. Mando jogar duro, na bola, como Muricy também manda. Ser firme não é ser desleal. Lamento as declarações, mas ele é acostumado a agir dessa maneira. Mas, fez parte." Quanto ao jogo, Luxemburgo disse que o resultado foi justo. "Ainda vibro e quando não for mais assim, terei que me aposentar. Avançamos a equipe no segundo tempo e graças às duas defesas maravilhosas de Fabio Costa, deixamos de tomar o segundo gol." Com o time quase classificado para as semifinais do Campeonato Paulista, Luxemburgo só mudou o tom comemorativo da entrevista para reivindicar o direito do Santos de mandar na Vila Belmiro os seus jogos das fases decisivas. "Santos e São Paulo são duas grandes equipes, mas como o mando dos jogos das semifinais e finais são da Federação, fica a dúvida e FPF precisa entender que o Morumbi é do São Paulo", disse Luxemburgo. Antonio Carlos também se mostrou incomodado com as queixas de Leandro. "Todo mundo sabe que ele é um jogador que se atira em todos os lances e por isso, suas reclamações não podem ser levadas a sério." Para o zagueiro o resultado, embora conseguido nos acréscimos, foi merecido. "Não jogamos bem no primeiro tempo, mas reagimos na etapa final e até poderíamos ter vencido." Zé Roberto foi o único jogador que se queixou do gol anulado por impedimento sinalizado pela auxiliar Ana Paula Oliveira. "Apesar do erro, o nosso time não perdeu e por isso, acho que o melhor em campo foi o time inteiro." O meia também elogiou o comportamento da torcida. "Até quando o São Paulo esteve melhor no primeiro tempo, ela não deixou de nos apoiar." Os jogadores voltam aos treinos nesta segunda às 16h30 e o próximo jogo será contra o Gimnasia y Esgrima, da Argentina, quarta-feira, às 21h45, na Vila Belmiro, pela Copa Libertadores da América. No Campeonato Paulista, o time volta a jogar no domingo, contra o Ituano, em Itu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.