Luxemburgo pode pegar 360 dias de suspensão em julgamento

Técnico do Palmeiras será julgado nesta segunda pelo TJD por ter ofendido a arbitragem contra o Rio Preto

Agência Estado,

10 de março de 2008 | 09h34

O técnico Vanderlei Luxemburgo, do Palmeiras, será julgado nesta segunda-feira pela expulsão durante o jogo contra o Rio Preto, há duas semanas. O julgamento começa por volta das 17h30, no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). Luxemburgo pode pegar até 360 dias de suspensão por supostas ofensas ao árbitro daquele jogo, Paulo Roberto Ferreira, e por críticas à Federação Paulista de Futebol e a Marcos Marinho, chefe da comissão de arbitragem. Veja também:  Palmeiras faz 5 a 2 no Bragantino em jogo polêmico Marcos: 'Dei um chute de leve, sem intenção de agredir'  Valdivia e Diego Souza desfalcam o Palmeiras contra a Ponte Luiz Roberto Martins Castro, advogado do Palmeiras, explica sua estratégia de defesa: "São três pontos que vamos abordar. O primeiro é contestar o que foi escrito na súmula, de que houve ofensa ao árbitro. Vamos mostrar um vídeo do programa "Bem, Amigos" [SporTV], que captou todo o diálogo entre o Vanderlei e o árbitro. Ali fica claro que não houve ofensa", diz o advogado."O segundo ponto é uma entrevista do Coronel Marinho dizendo já estar acostumado às reclamações dos treinadores. Não haveria, portanto, motivo para punir o Vanderlei. O terceiro ponto é deixar claro que o Vanderlei nunca disse que a expulsão estava armada pela Federação, mas que quem usou esse termo foi, na verdade, o repórter [Luís Carlos] Quartarolo, da Jovem Pan, numa pergunta ao Vanderlei", completou Castro. LIBERDADE DE EXPRESSÃOEm entrevista à rádio Jovem Pan, Luxemburgo se defendeu da suspensão. "Não acho que deveria ser punido pelo que fiz e faço ao futebol. Não foi nada para isso. Eu estava muito nervoso na saída de campo, eu, aliás, estou tentando melhorar neste sentido. Eu estava incomodado mesmo e fiz críticas ao coronel Marinho porque não concordava com os erros. E não podem tirar meu direito de criticar, estamos em um país democrático", discursa.O técnico não se conforma com a postura de Marcos Marinho e de alguns árbitros. "Ele [Marinho] não deveria ter criticado o árbitro na saída do campo, isso só cria instabilidade. Eu tenho tentado tornar o Valdívia melhor, mas o árbitro fazer daquele jeito [ele alega que Valdívia não deveria receber cartão amarelo por um pênalti não marcado] me dá a entender que existe uma predisposição contra o Valdívia". Para o treinador palmeirense, o árbitro de domingo, Paulo César Oliveira, fez o certo no jogo contra o Bragantino. "Na Europa estão mais preocupados em jogar futebol. Aqui, achei justo o cartão para o Valdívia porque foi punido pelo antijogo. Se o Palmeiras fizer isso, tem que punir. É assim que funciona e o Paulo César [Oliveira] fez o certo. Aqui os árbitros estão preocupados em dar porrada e cavar falta. O árbitro está preocupado em saber se eu falei, se reclamei. Abro os braços e falo como qualquer outro, como se faz na Europa."Atualizado às 12h57 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasVanderlei LuxemburgoFPFTJD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.