Luxemburgo promete barrar os negociados

Goleado pelo Palmeiras por 4 a 0, na última rodada do Campeonato Brasileiro e eliminado da Copa Libertadores pelo Once Caldas, da Venezuela, na quinta-feira, o Santos não conseguiu iniciar sua arrancada na competição nacional neste domingo, contra o Atlético-MG, no Mineirão. Depois de estar à frente do placar, por duas vezes, o time acabou ficando no empate por 3 a 3. O resultado que, por um lado, agradou os jogadores, por outro, provocou à ira do técnico Vanderlei Luxemburgo que promete não escalar mais Alex e Paulo Almeida.Luxemburgo, que no comando do Santos venceu apenas duas partidas, das sete que disputou, acredita que o trabalho não vem dando o resultado esperado porque alguns jogadores não estão com à cabeça totalmente voltada para o time. Por isso, o treinador promete vetar aqueles que já estão negociados com outros clubes. "A partir de agora temos que separar quem vai sofrer e quem vai continuar com o Santos. Jogador que está negociado com a Europa não vai mais jogar comigo", adiantou o treinador que promete barrar Alex e o Paulo Almeida. "O Alex e o Paulo Almeida já estão fora", afirmou. O primeiro, que acertou com o PSV, não enfrentou o Atlético Mineiro. Já Paulo Almeida, que deve se transferir para o Benfica, foi substituído na segunda etapa.O treinador disse que, por "forças da circunstâncias", foi obrigado a escalar alguns jogadores na Libertadores mas que, de agora em diante, terá uma postura diferente. "Aceitei essa situação na Libertadores porque foi uma circunstância mas, como estamos no Brasileiro, tenho tempo para trabalhar e repor as peças que vão embora", explicou o treinador, que "jurou" também o volante Renato. "Conversei com o Renato. Ele me disse que tem contrato até o meio do ano. Se ele não assumir o compromisso com o Santos, pode saber que está fora também", adiantou.Alheios à irritação do treinador, os jogadores consideraram o empate um bom resultado, pois jogaram diante do Atlético, dentro do Mineirão, vindos de uma viagem desgastante. Segundo o lateral-esquerdo Léo, o time jogou no sacrifício. "A equipe foi para o sacrifício. Devido às circunstâncias da viagem da Colômbia foi um bom resultado. Não tivemos tempo para descansar e viemos de uma desclassificação na Libertadores", analisou.Já o volante Renato destacou a qualidade do adversário que também poderia ter deixado o Mineirão com a vitória. "Não podemos descartar que um empate com o Atlético aqui no Mineirão é um bom resultado.Tivemos chances de sair vencedores, mas o adversário também poderia ter vencido", disse o capitão.O meia Ricardinho, que estreou com a camisa do Santos, avalia como positiva sua participação na partida, mesmo tendo ficado cinco meses sem jogar. "Esperava pela oportunidade e ela veio. Estava preparado.Treinei normalmente e me senti bem em campo. Pena que estivemos duas vezes na frente e deixamos empatar. É o início de um trabalho que vai dar resultado", avisou.O atacante Robinho, que teve a oportunidade de dar a vitória ao Santos, em cobrança de pênalti, destacou a defesa do goleiro Eduardo. "O Eduardo saiu bem para a defesa. Acho que cobrei bem, mas o goleiro foi feliz e conseguiu evitar o gol. Na volta, peguei mal na bola", afirmou o jogador, que perdeu o pênalti, aos 37 minutos do primeiro tempo.Eduardo fez grande defesa, caindo no canto direito. No rebote, depois que a bola bateu no travessão, o mesmo Robinho teve a chance de fazer, mas pegou mal e isolou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.