Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Luxemburgo promete usar mais a base, mas pede calma para não prejudicar garotos

Técnico do Palmeiras cobra humildade dos meninos depois de campanha vitoriosa e comparações entre Patrick de Paula e Pogba

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2020 | 15h48

O técnico do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo, pediu nesta segunda-feira para a torcida e a imprensa terem mais calma com a expectativa sobre as revelações saídas das categorias de base do clube. Dias depois de ter conquistado o Campeonato Paulista com as presenças de garotos entre os titulares, o treinador afirmou em entrevista coletiva online que apesar da euforia por nomes como Patrick de Paula e Gabriel Menino, é preciso ter cautela para o Campeonato Brasileiro.

Os dois meio-campistas foram titulares na final contra o Corinthians e o destaque foi ainda maior para Patrick de Paula, por ter cobrado o pênalti decisivo. O jogador de 20 anos começou a ser apelidado pela torcida com referência aos meias franceses Paul Pogba e até ao agora aposentado Patrick Vieira. "Vocês (jornalistas) hoje estão chamando ele de Pogba, mas poderia ser o Pogb...O jogador tem de colocar os pés no chão. Agora, daqui para frente, ele tem de jogar sem comparação com ninguém. Ele é o Patrick. Tem de buscar o espaço dele", afirmou.

O Palmeiras passou a contar neste ano com oito revelações das categorias de base no elenco profissional, fora a presença de outros novatos que completam alguns treinamentos. O número é bem superior ao de outras temporadas, quando mesmo com bons resultados em competições de base, o clube pouco aproveitava os atletas revelados em casa e apostava mais nos reforços trazidos de outras equipes.

Em 2018, por exemplo, a equipe só utilizou seis jogadores promovidos da base. No ano anterior a presença foi ainda menor. Embora existisse a meta de fechar a temporada com quatro atletas  como pelo menos 45 minutos atuado, a equipe só conseguiu escalar um garoto em 2017. No ano passado a história começou a mudar no fim do ano, com a promoção de Gabriel Veron ao time principal, e também pela necessidade de promover garotos para recompor as saídas do elenco.

Por essa mudança de estratégia, Luxemburgo entende ser necessário ter calma antes de pensar em escalar todos. "As pessoas cobram muito de colocar o 'fulano' ou o 'ciclano'. Tem de colocar o menino no momento certo, se não vai queimar etapas. Os outros jogadores que estão aqui vão ter oportunidades, com certeza", disse o técnico. Entre os jogadores da base candidatos a entrar no time estão o atacante Angulo, o meia Alan, o lateral Esteves e o atacante Wesley.

O treinador pretende usar mais os garotos ao longo do Brasileirão principalmente por ter a possibilidade de realizar cinco alterações em cada jogo. "Estamos fazendo um trabalho para conseguir um equilíbrio nos garotos para conseguir o que queremos. Tem o Veron, tem o Luan (Silva), tem o Gabriel Menino e uma série de outros que se juntaram ao elenco para fazer o Brasileiro", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.