Luxemburgo quer ainda mais de Robinho

O atacante Robinho recebeu um puxão de orelha do técnico Vanderlei Luxemburgo logo depois da goleada de 4 a 0 em cima da Ponte Preta, sábado na Vila Belmiro. O treinador exige mais produtividade do atleta, que não perde a humildade ao responder o que precisa fazer a mais do que já vem fazendo: "tenho de melhorar a cada dia, a cada jogo e também penso dessa forma porque a gente nunca está perfeito e é preciso trabalhar mais a movimentação e finalização", disse ele.Robinho disse que a proposta do PSV não mexeu com sua cabeça. "Continuo firme no meu objetivo de ser campeão este ano e estou muito feliz na Vila Belmiro". E no ano que vem? "Não quero pensar nisso agora e se tiver que falar sobre esse assunto, vai ser no final do ano, quando acabar o Brasileiro". E completou: "até o final do ano tem tempo ainda?. O atacante não quer ficar falando nesse assunto e tem um bom motivo para isso: "Estou jogando bem, mas posso um dia não jogar lá essas coisas e aí vão falar que estou com a cabeça na Holanda". Sobre a informação de que o presidente do Benfica estará no Morumbi para vê-lo jogando contra o São Paulo, preferiu desconversar: "estou feliz aqui e só penso em jogar bem para ajudar o time a ser campeão novamente do Brasileiro".Há três jogos Robinho não marca, mantendo os mesmos 19 gols que o colocam na frente dos demais atacantes santistas, mas ele acha que seu comportamento dentro de campo, jogando um futebol mais de equipe, supera isso. Outra dificuldade que está vencendo é a de fugir das faltas, pois continua sendo caçado dentro de campo durante todo o jogo.Num lance, provocou polêmica no jogo contra a Ponte Preta e Robinho comentou: "acabei pulando com o braço aberto e acabei pegando no Lauro com o meu cotovelo. Mas não foi por maldade. Procuro jogar meu futebol normalmente, estou acostumado a apanhar bastante, mas acabei machucando o goleiro no lance sem querer. Isso faz parte do futebol".Robinho ainda não sabia se será escalado ou não no clássico de contra o São Paulo. "Eu estou pronto e depende do professor Vanderlei me escalar ou não", disse ele. Mas reclamou do fato de o time vir jogando duas vezes por semana, o que será ainda mais cansativo com as viagens provocadas pela longa série de partidas fora de casa, já que o Santos só deverá atuar na Vila Belmiro em 5 de dezembro. "É sempre importante o descanso porque estamos jogando às quartas e domingos e às vezes não dá para estar 100% nas duas partidas". O jogador acha, porém, que não haverá problemas se o time misto entrar em campo. "Os jogadores que não vêm atuando estão preparados e já mostraram que dão conta do recado". Sobre os jogos fora de casa, disse que "nós gostamos sempre de jogar na Vila Belmiro, estádio muito bom, perto de nossa torcida, mas se isso não for possível, temos de continuar fazendo nosso trabalho pois o time que pretende ser campeão tem de ganhar pontos dentro e fora de casa".

Agencia Estado,

18 de outubro de 2004 | 20h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.