Luxemburgo quer explicações de Renata

O técnico Wanderley Luxemburgo prometeu nesta quarta-feira que não vai deixar a estudante de Direito, Renata Carla Moura Alves, em paz enquanto ela não explicar as alusões proferidas em relação ao seu desempenho sexual. O treinador do Corinthians compareceu hoje a audiência na 20ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, a respeito do processo, por injúria, que move contra sua ex-funcionária.Luxemburgo disse que atualmente move contra Renata 11 queixas-crime no Rio, uma em Brasília, além de três processos por danos morais. O treinador garantiu que todos irão até o final e ainda ameaçou impetrar novas queixas, contra a estudante, se ela voltar a caluniá-lo.Nesta quarta-feira, a estudante, que deveria comparecer com suas testemunhas de defesa, alegou não ter sido comunicada oficialmente, apesar de admitir que sabia da realização da audiência. As cinco testemunhas apresentadas por Renata, entre elas o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), também não compareceram, mas justificaram a ausência.A juíza responsável pelo processo, Maria Elisa Peixoto Lubanco Carvalho Montenegro, marcou para o dia oito de maio uma nova audiência. Renata festejou a nova data e disse que, desta vez, comparecerá. "Vou levar a camisa e o meião que ele me pedia para usar", anunciou. Na sexta-feira, a estudante deve comparecer à 30ª Vara Criminal para ser ouvida em novo processo por extorsão movido por Luxemburgo contra ela.Seleção - Luxemburgo, voltou a manifestar seu desejo de retornar ao cargo de técnico da seleção brasileira, nesta quarta-feira, após a audiência na 20ª Vara Criminal do Rio de Janeiro. O treinador disse que espera ter seu nome lembrado quando o cargo estiver vago. "Quando falei que queria retornar à seleção, as pessoas me interpretaram mal. Sempre fui ético, quero ajudar e dou todo o apoio necessário ao Leão, mas todo técnico do Brasil sonha treinar a seleção. Não sou diferente", explicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.