Washington Alves/Divulgação
Washington Alves/Divulgação

Luxemburgo reclama de falta de criatividade em derrota do Cruzeiro

Técnico usa falta de alternativas ofensivas como motivo de tropeço

Estadão Conteúdo

21 de junho de 2015 | 15h53

O técnico Vanderlei Luxemburgo conheceu sua primeira derrota na manhã deste domingo no comando do Cruzeiro no Brasileirão. Após vitórias sobre Flamengo, Atlético e Vasco, o técnico viu seu time perder em pleno Mineirão para a Chapecoense, por 1 a 0. O treinador apontou a falta de alternativas ofensivas da equipe para superar a defesa adversária como a maior responsável pela derrota.

"Sabia que seria complicado, tínhamos de criar e não deixar espaço para contra-ataques. Eles fizeram gol e se fecharam. Faltou criatividade, um pouco mais de drible para furar a defesa. Ficamos burocráticos. Foi muito ruim perder em casa. Agora vamos começar o segundo bloco de quatro jogos e buscar pontuação que nos conduz a uma situação melhor", declarou o técnico.

Para confirmar sua justificativa, Luxemburgo ressaltou que algumas opções de ataque não puderam enfrentar a Chapecoense por lesão. Por isso, segundo ele, o Cruzeiro teve dificuldades diante de um adversário fechado.

"Jogamos contra equipes que se equivalem: Vasco no campo do Vasco, Flamengo e Atlético em clássicos. A Chapecoense jogou por uma bola. E o time estava muito desfalcado. Temos jogadores que entram e mudam o jogo, Gabriel e Alisson dão uma rabiscada. Num jogo desse, você tem de ter jogador de drible. Contra equipe forte, o Cruzeiro vai se equiparar", avaliou.

A partida deste domingo foi também a primeira do Cruzeiro no horário de 11h. Segundo Luxemburgo, a disputa de uma partida matutina não influenciou no resultado. "É legal um jogo às 11h, mas muda toda história. Falei com os jogadores perguntando quem aqui não jogou bola às 11h? Nós treinamos pela manhã. Não tem desculpa pelo horário. A derrota veio pela proposta da Chapecoense. Existe o horário e não tem de pôr a culpa em nada. Isso faz parte da nossa cultura de futebol", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.