Luxemburgo tenta evitar clima de guerra em clássico

Treinador não acredita em 'revanchismo' do São Paulo por causa dos incidentes nas semifinais do Paulistão

AE, Agencia Estado

11 de julho de 2008 | 12h19

O técnico do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo, evitou provocações ao São Paulo antes do clássico entre as duas equipes, que será disputado às 16 horas de domingo, no Morumbi. O treinador afirmou que a partida é apenas mais uma entre as 38 que o clube terá de disputar no Brasileiro.Veja também:  Resultados e classificação do Campeonato Brasileiro   Rogério Ceni minimiza clima de revanche para clássico paulista Diego Cavalieri assina contrato de 4 anos com o Liverpool Luxa: 'O Valdivia vai ter de voltar a ser o que era' "O clássico é só mais um jogo do campeonato, não é a decisão, e nem é uma guerra. Eu não vejo nada diferente", disse Luxemburgo, que alertou para o perigo de provocações antes de uma partida contra o rival."O problema da provocação é que ela começa pelos jogadores e chega até as torcidas. De repente você cria uma rivalidade tão grande que torna-se difícil de ser contida", afirmou o treinador.Tal qual o Palmeiras - que empatou por 1 a 1 com o Figueirense, em casa -, o São Paulo também não teve um bom resultado na décima rodada, ao perder por 2 a 1 para o Náutico, no Estádio dos Aflitos.PREOCUPAÇÃOO goleiro Marcos está preocupado. O empate em casa para o Figueirense foi inesperado e, agora, uma vitória para o São Paulo é necessária para o Palmeiras continuar na luta pelas primeiras colocações. "O difícil no clássico no final de semana é que a gente empatou com o Atlético, com o Figueirense e se perder para o São Paulo, faremos dois pontos em nove jogos. Isso é muito pouco para o Palmeiras."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.