Luxemburgo tenta minimizar importância do clássico

Técnico palmeirense tenta diminuir um pouco a responsabilidade da vitória sobre o arqui-rival

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

29 de fevereiro de 2008 | 20h57

O técnico Vanderlei Luxemburgo sabe da importância do clássico de domingo, contra o Corinthians, mas não quer que ninguém do Palmeiras o denomine como "o jogo da vida". Assim, tenta diminuir um pouco a responsabilidade de vitória palmeirense. Veja também:  Marcos não vê clássico de domingo como 'jogo especial' Palmeiras quer ganhar o clássico sem pensar em 'dinheiro' Palmeiras lançará 'bilhete único' para jogos no Palestra Corinthians e Palmeiras devem jogar com seus uniformes 3 no clássico? Ninguém no Palestra Itália esconde que o rival Corinthians está num melhor momento. Apesar de ter batido o Cene por 2 a 0, na quarta-feira, eliminando o jogo de volta da primeira fase da Copa do Brasil, o Palmeiras não está numa situação confortável no Campeonato Paulista. Ocupa a 9ª colocação, com 16 pontos - 4 a menos do que os corintianos. "É um clássico que mexe com muita coisa. Se a gente perder, vamos nos afastar um pouco (da classificação). Mas tem uma distância grande até falar que é o jogo da vida", disse o treinador do Palmeiras. "É importante para buscar o título, mas a derrota não vai fazer o Luxemburgo incompetente. Acho isso injusto." Para tentar surpreender o Corinthians, que não perde há 10 jogos, Luxemburgo realizou um treino secreto nesta sexta-feira. E a surpresa pode ser a entrada do atacante Kleber, que estreou no segundo tempo do jogo contra o Cene. "Ele está pronto", limitou-se a dizer o técnico. O meia Diego Souza, que irá debutar no clássico paulista, já sabe da importância da partida de domingo. "A equipe que vencer ganha um algo a mais na competição", contou o jogador. "É um jogo decisivo, sem dúvida."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.