Luxemburgo troca meio time para pegar a Ponte no domingo

O Santos vai trocar quase meio time para defender a invencibilidade de 11 jogos, dos quais sete pelo Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, neste domingo, em Campinas. Além de Antonio Carlos, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o técnico Vanderlei Luxemburgo deve substituir Denis por Pedro e poupar Zé Roberto e Rodrigo Tiuí, que sofreram contusões leves na vitória contra o Corinthians.Em compensação, o técnico terá a volta de três importantes titulares: Kléber na lateral esquerda, no lugar de Carlinhos, Maldonado no de Adriano e Cléber Santana, que cumpriu suspensão, na meia direita, com Pedrinho passando para a posição de Zé Roberto. No ataque, Jonas, autor do gol da vitória na quarta-feira, será o companheiro de Marcos Aurélio.Dos dois próximos jogos, o de domingo é o menos importante porque mesmo perdendo da Ponte Preta o time ainda continuará sendo o líder do Paulistão, mesmo se o São Paulo ganhar do Palmeiras. Como um dos objetivos de Luxemburgo é terminar a fase de classificação da Copa Libertadores como líder absoluto do Grupo 8, vai deixar para escalar o que tem de melhor contra o Defensor Sporting, na próxima quinta, em Montevidéu."Os problemas físicos de Antonio Carlos, Zé Roberto e Rodrigo Tiuí foram um aviso para que tenhamos maior cuidado", disse Luxemburgo, que embora elogie seguidamente o grupo de jogadores não quer expor peças importantes da equipe. Por isso, Zé Roberto deve descansar no fim de semana.O técnico ficou satisfeito com a produção do time contra o Corinthians. Ao contrário de Pelé, que assistiu ao clássico em seu camarote, na Vila Belmiro, considerou o jogo sofrível e não gostou da atuação santista, em razão da dificuldade que teve para derrotar um adversário com dois jogadores a menos.No Centro de Treinamentos Rei Pelé, nesta quinta, Jonas ainda comemorava o seu gol. "Comemorei bastante pela importância que um gol tem num clássico contra o Corinthians e também porque estava triste por ter perdido duas grandes oportunidades antes", explicou.O zagueiro Adailton, ao contrário, respondeu várias vezes sobre o gol contra. "Foi um lance fatídico. Não tive muito tempo para refletir. A bola quicou, bateu na região do meu joelho e não deu para direcioná-la para onde eu pretendia", justificou. "Costumo dizer que nas grandes vitórias evito a euforia e num momento como esse não vou baixar a cabeça e não ficar depressivo."Cléber Santana irritadoIncomodado com as cobranças que vem sofrendo de torcedores na rua, Cléber Santana quer antecipar para os próximos dez ou 15 dias a renovação do contrato com o Santos. "Liguei para o meu empresário (Juan Figer) para saber se há alguma verdade sobre uma possível transferência para o exterior e ele me disse que não", afirmou Cléber Santana."Falaram até que eu já tinha feito exame médico num clube da Espanha e isso vai passando de um torcedor para o outro. Quero renovar logo para acabar com tudo isso", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.