Bruno Haddad/Cruzeiro EC
Bruno Haddad/Cruzeiro EC
Imagem Robson Morelli
Colunista
Robson Morelli
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Luxemburgo vai tentar o pulo do gato para levar o Cruzeiro de volta à elite do Campeonato Brasileiro

As próximas partidas do time na Série B serão fundamentais para uma 'decisão' do futuro do time mineiro; são 11 pontos para o quarto colocado da tabela

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2021 | 11h16

Vanderlei Luxemburgo tem algumas partidas interessantes para fazer, contra rivais de qualidade duvidosa, para dar seu pulo do gato e levar o Cruzeiro para cima na tabela de classificação da Série B, com vistas à elite do futebol brasileiro em 2022. Esse é o único objetivo do time mineiro em sua segunda temporada seguida na Segundona. Dos treinadores que passaram pelo clube nos últimos anos, Luxemburgo afastou o time da zona de rebaixamento e tenta de todas as formas pegar o elevador para cima.

Seu trabalho é apenas regular, mas ele mantém os torcedores esperançosos com melhor sorte desta vez. São 11 pontos para o quarto colocado, o último a garantir vaga automática para o Brasileirão. O caminho é longo após 24 rodadas, portanto, mais perto do fim da disputa do que de seu começo. A hora é de decisão.

Luxemburgo foi expulso por reclamação no empate desta semana com o Operário. O Cruzeiro prometeu reclamar contra o VAR na Comissão de Arbitragem. Não vai dar em nada, como nunca dá. Mas o clube quer mostrar sua insatisfação com os árbitros de imagem. Vai ser assim até o fim.

O problema do treinador que aceitou o desafio de jogar a Série B, retomando os dias iniciais de sua carreira, lá atrás, é que há rivais tão tradicionais quanto o time mineiro tentando subir. A volta à primeira divisão significa, acima de tudo, ganhar mais dinheiro das tevês e da CBF. E todos esses clubes precisam muito de dinheiro. São incapazes de gastar o que arrecadam e agora enfrentam problemas na justiça. Os cobradores estão do outro lado da porta, com as faturas nas mãos.

As próximas partidas do Cruzeiro podem dar a ele um caminho mais real de seu destino: subir ou permanecer na divisão, porque cair para a Série C ele não corre mais risco. A tabela tem clássicos interessantes entre camisas fortes. Por exemplo, vai ter um Cruzeiro e Vasco. Não há favoritos. Tem ainda um Guarani e Cruzeiro. Luxemburgo sabe bem o tamanho do time de Campinas em sua caminhada de volta ao estrelato. Cruzeiro e Coritiba. O time do Paraná ocupa uma das primeiras colocações, portanto, estima-se que esteja melhor e que jogue com mais confiança e menos pressão. Na briga de galo da Segundona, isso faz muita diferença. Tem ainda nessa trajetória das próximas partidas o Botafogo pela frente — um dos candidatos a subir porque faz campanha regular. Pedreira pura. Tem um Avaí, que também ocupa posição da parte de cima da tabela.

Luxemburgo terá de levar esse seu elenco para um retiro e tentar concentrar todos os jogadores por um tempo indeterminado para juntar os pensamentos e mentalizar a necessidade de "dar a vida" nesta reta final de competição. Ele adora fazer dessas e sempre consegue alguma coisa. É tudo ou nada para o time de Belo Horizonte.

Bater esses rivais da ponta também significa impedir que eles abram pontos na frente e apontem uma definição dos quatro que estarão na elite em 2022. O Cruzeiro não é tão ruim assim comparado com os outros. Precisa encontrar um caminho, uma vez que na bola a briga é de foice mesmo. Luxemburgo vai fazer esse time pensar somente em jogar bola e ganhar suas partidas. Os familiares dos jogadores e a dona Encrenca (como chama sua mulher) terão de entender isso nesse momento. Significa tanto para o clube quanto para suas carreiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.