Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Luxemburgo vira algoz do irmão Pery

A trajetória do técnico Valdonier Luxemburgo, o Pery, à frente do Mamoré foi interrompida pela goleada de 7 a 1 sofrida em casa para o Cruzeiro, no último sábado. O irmão mais novo, Vanderlei, que foi o "avalista" de sua contratação, acabou sendo também o seu algoz. Os dirigentes da equipe de Patos de Minas ficaram irritados com a postura do time diante do atual campeão brasileiro e hoje pela manhã anunciaram a Pery que ele estava demitido. A goleada para a equipe da capital, a maior do Campeonato Mineiro até agora, foi considerada humilhante. "Depois de um placar elástico como esse aí fica difícil né? Você não pode jogar aberto contra time nenhum, ainda mais contra o Cruzeiro", justificou o supervisor Petrônio Santos. "Ele é bom como pessoa, mas como técnico dispensa comentário. É ingênuo de toda a natureza". Sandro Schacht, diretor de futebol do Mamoré, que havia classificado a contratação de Pery como uma "jogada" de marketing, reforçou as críticas. "Ele subestimou o adversário, foi jogar de igual para igual e deu tudo errado". Apesar do "constrangimento", o dirigente acredita que a rápida passagem do treinador foi positiva para o clube. Pelo menos do ponto de vista publicitário. "Tivemos um retorno bom de mídia". Pery foi demitido 23 dias depois de ser contratado, em substituição a Luciano Pascoal. Na época, ele havia chegado recentemente dos Estados Unidos e fazia um estágio com o irmão famoso na Toca da Raposa II. Vanderlei conversou com os dirigentes da equipe de Patos de Minas, avalizando sua contratação. Quando foi apresentado, Pery, em tom de bricandeira, acabou prevendo o próprio destino. Disse que seu objetivo era "fazer um bom trabalho e se manter no cargo, ao menos até enfrentar o Cruzeiro". Além do Mamoré, no seu currículo consta passagens pelo Vitória F. C., do Espírito Santo, Taquaritinga (SP), e Phantom, um time de New Hampshire (EUA). Pelo Campeonato Mineiro foram cinco jogos - três vitórias e duas derrotas. O irmão de Vanderlei recebeu com frustração e um pouco de mágoa a notícia de sua demissão. "Eu achei meio estranho. Não estava contando com isso. Fui eu quem conquistou os pontos que o clube tem no campeonato", disse Pery, que promete insistir na carreira de treinador. Após a partida do último sábado ele até demonstrava tranqüilidade, afirmando que considerava "normal" perder para o Cruzeiro, apesar do resultado "elástico". "Agora, por enquanto, vou permanecer por aqui até outro clube me chamar?. Já o técnico cruzeirense procurou minimizar o episódio após a partida. "Eu não joguei contra meu irmão. Ele é o comandante dessa equipe e amanhã ele vai estar comandando outra equipe e eu vou ter que jogar (contra)", disse Vanderlei, sem saber que a goleada determinaria a queda de Pery. A diretoria do Mamoré já está à procura de um novo técnico, o terceiro a comandar o time no Estadual. De acordo com o supervisor do clube, o nome mais cotado é o de Luiz Eduardo, atualmente treinador do Social, de Coronel Fabriciano. A equipe do interior ocupa a nona posição no Mineiro, com nove pontos ganhos em sete jogos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.