Luxemburgo volta a criticar atuação do árbitro do clássico

Técnico não gostou da atuação de Salvio Spínola na partida entre Palmeiras e São Paulo neste domingo

Redação,

20 de outubro de 2008 | 15h35

O técnico Vanderlei Luxemburgo voltou a demonstrar sua irritação com a atuação do árbitro Salvio Spínola Fagundes Filho, no clássico desse domingo entre Palmeiras e São Paulo. O palmeirense carregou nas críticas e chegou a dizer que a polêmica envolvendo sua escalação influenciou no seu trabalho em campo.    Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão   Antes do confronto, o presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, chegou a declarar sua insatisfação com a escolha do árbitro. O que para o técnico do Palmeiras comprometeu o trabalho de Salvio Spínola.   "Eu acho que ele entrou emocionalmente confundido. Foi com a cabeça premeditada para aquilo", afirmou Luxemburgo em entrevista nesta segunda-feira, ao Arena SporTV. "Apareceu a oportunidade e ele expulsou achando que iria controlar o jogo", disse em referência ao lance em que Borges e Diego Souza trocaram empurrões e acabaram saindo de campo, logo aos sete minutos de jogo.   Luxemburgo ainda reclamou do estilo de apitar do árbitro, alegando que a jogada que originou a expulsão dos atletas foi normal para um jogo decisivo, como a partida de domingo. "Então todo os clássicos, com dois, três minutos, vai ter que botar um jogador para fora", criticou.   Salvio Spínola é cogitado para ser o árbitro brasileiro na Copa do Mundo de 2010. Para o técnico do Palmeiras, essa não seria a melhor escolha. "Ou você está preparado, ou não está. A atitude dele não é de um árbitro que está preparado para a Copa do Mundo", afirmou.   ELOGIO Mas o técnico palmeirense não foi só críticas. Para ele só existe um craque atualmente no futebol brasileiro. E ele joga justamente no adversário: o volante Hernanes.   "O Hernanes é o único craque. Ele tem a dinâmica de jogo, se desloca com muita facilidade quando sai da defesa para o ataque. Não é aquele coisa presa do volante", elogiou Luxemburgo.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.