Lyon é multado por laser de torcedor contra Cristiano Ronaldo

Atacante do Manchester United foi incomodado em lances em partida válida pela Liga dos Campeões

Efe

20 de março de 2008 | 18h20

O Comitê de Controle e Disciplina da Uefa multou nesta quinta-feira o Lyon em 3.200 euros pelo incidente provocado por um torcedor que utilizou uma caneta laser para incomodar o atacante português Cristiano Ronaldo, durante partida da equipe francesa contra o Manchester United pela Liga dos Campeões. Cristiano Ronaldo foi alvo do laser em vários momentos da partida disputada no estádio Gerland, em 20 de fevereiro, como foi possível comprovar pela transmissão da TV. Após estudar o relatório enviado pelo árbitro Luis Medina Cantalejo e pelo delegado da partida, Jan Damgaard, a Uefa decidiu multar o clube francês.  O Comitê não estudou, no entanto, os insultos racistas proferidos pelos torcedores do russo Zenit contra jogadores negros do Olympique de Marselha, na partida de volta das oitavas-de-final da Copa da Uefa, disputada entre as duas equipes em 12 de março, em São Petersburgo. A Uefa decidiu adiar este assunto para a próxima reunião da comissão disciplinar, após nomear um inspetor que receberá mais informações a respeito. A entidade multou ainda quatro equipes por distúrbios provocados por suas torcidas em partidas da Copa da Uefa.  O Atlético de Madri foi multado em 19.206 euros (cerca de R$ 52 mil) e o Bolton em 6.401 euros (cerca de R$ 17 mil) pelos incidentes na partida de volta do confronto entre ambos pela competição.  Os espanhóis foram punidos devido aos distúrbios produzidos por sua torcida, enquanto a equipe inglesa foi sancionada pelo lançamento de objetos em campo por parte de seus torcedores. Os dois clubes têm três dias para recorrer da decisão.  Caso semelhante foi o do Everton, da Inglaterra, e o do Brann, da Noruega, sancionados por invasão de campo e pelo lançamento de objetos no gramado no confronto entre ambos pela Copa da Uefa em 13 de fevereiro, na Noruega.  Os noruegueses foram multados em 9.611 euros (cerca de R$ 26 mil) mas poderão recorrer da decisão, enquanto que para os ingleses, multados em 3.200 euros (cerca de R$ 9 mil), a sentença é definitiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.