Pontepress/Divulgação
Pontepress/Divulgação

Má fase no Brasileirão gera protestos da torcida e cobrança geral na Ponte Preta

Equipe campineira foi derrotada pelo Bahia nesta quarta-feira em pleno Moisés Lucarelli, por 3 a 0

Estadão Conteúdo

13 de julho de 2017 | 19h22

A derrota para o Bahia por 3 a 0, na última quarta-feira, em Campinas (SP), deixou a Ponte Preta em crise. Mesmo porque há quatro jogos não vence e só somou um ponto, com um empate e três derrotas. Além disso, o seu ataque não balança as redes há 320 minutos, soma 15 pontos e está perto da zona de degola do Campeonato Brasileiro. Por isso, a quinta foi de cobrança geral pelos lados do estádio Moisés Lucarelli.

Na verdade, os jogadores já sentiram o peso da má fase nos vestiários com uma cobrança direta do gerente de futebol Gustavo Bueno. Enquanto alguns torcedores protestavam na saída do estádio, o dirigente gastou o verbo em cima de todos. O resultado foi uma nova reunião entre jogadores na reapresentação do elenco nesta quinta-feira.

O experiente Emerson Sheik, o mais velho do grupo com 38 anos, assumiu a função de falar pelos companheiros. "Nós sabemos que fomos mal nestes últimos quatro jogos, mas também sabemos que temos capacidade para reverter esta situação. Precisamos manter o planejamento e o projeto inicial que foi o que me seduziu a vir para o clube", explicou o atacante, que saiu em defesa do técnico Gilson Kleina, alvo principal da torcida após a derrota para o Bahia.

O treinador, bem mais abatido, considerou justos os protestos dos torcedores e apresentou como única alternativa para o grupo: "Trabalhar mais, principalmente, em cima dos erros apresentados nestes jogos".

Após 13 rodadas e mais perto do final do primeiro turno, a comissão técnica pode rifar alguns jogadores que não estão correspondendo como o atacante Lins, nem relacionado nos últimos trabalhos. Em compensação, o também atacante boliviano Luis Ali já treina e o volante paraguaio Mendoza está chegando.

O time, agora, vai ter que se recuperar fora de casa. Neste domingo enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre, pela 14.ª rodada. Estão certas as voltas de dois titulares: o zagueiro Rodrigo e o meia Renato Cajá, que estavam suspensos. O primeiro tinha pego quatro jogos de suspensão pela expulsão diante do Palmeiras, mas com recurso a pena caiu para dois. Gilson Kleina deve desenhar uma nova escalação nos treinos desta sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.