Macaé acusa Mogi Mirim de escalar jogador de forma irregular na Série C

Na disputa pelo acesso à Série B, equipe paulista pode perder até quatro pontos

Estadão Conteúdo

24 de agosto de 2016 | 18h50

Na briga pelo acesso à Série B, o Mogi Mirim pode diminuir suas chances de subir de divisão por conta de uma denúncia do Macaé. O time do Rio de Janeiro acusa o Mogi de ter escalado irregularmente o zagueiro Henrique Motta no empate sem gols entre os times, no último sábado, e prometeu notificar a infração ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) até esta quinta-feira.

Com isso, a equipe paulista corre o risco de perder até quatro pontos, três pelo ocorrido e um pelo ponto conquistado na ocasião. No momento, o Mogi Mirim é sétimo colocado, com 20 pontos, a três do G4, a zona de classificação. Com a punição, passaria a ter 16, a cinco da zona de rebaixamento e a sete da zona de classificação. O Macaé é o oitavo, com 12, a um ponto do Z2.

Henrique Motta chegou à 11ª rodada da Série C, em partida contra a Portuguesa, pendurado com dois cartões amarelos. No duelo, levou o terceiro amarelo e ainda foi expulso com a aplicação de um vermelho, de forma direta. Com isso, conforme o segundo parágrafo do artigo 51 do regulamento geral da CBF, o zagueiro teria que cumprir dois jogos de suspensão. Assim foi feito e ele ficou de fora contra Guaratinguetá e Tombense.

Acontece que na última quarta-feira, dia 17, o jogador foi julgado pela 1ª Comissão Disciplinar do STJD e acabou punido com dois jogos por conta da falta que originou o cartão vermelho. Assim ele teria que cumprir na rodada seguinte, diante do Macaé, mas foi a campo normalmente.

A direção do Mogi Mirim não se manifesta sobre o caso e aguarda a denúncia no STJD para, se acusado, fazer a sua defesa.

Tudo o que sabemos sobre:
serie cmogi mirimmacaeCBF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.