Grigory Dukor/ Reuters
Grigory Dukor/ Reuters

Machucado, Rafinha renova com Barça e terá multa de R$ 318 milhões

Com lesão no joelho, meia brasileiro só voltará a atuar em 2016

Estadão Conteúdo

02 Novembro 2015 | 13h01

O Barcelona não quer que Rafinha repita o irmão Thiago Alcântara e deixe o Camp Nou ainda jovem, antes de mostrar seu potencial com a camisa azul-grená. Nesta segunda-feira, o clube catalão anunciou a renovação do contrato do garoto de 22 anos, filho do ex-meio-campista brasileiro Mazinho, até junho de 2020.

Em troca de uma aumento salarial, Rafinha aceitou um acordo que eleva a multa rescisória do seu contrato para 75 milhões de euros (R$ 318 milhões), um valor difícil de ser alcançado por qualquer clube do mundo - na história, só o Manchester United, além do Real Madrid e do próprio Barcelona já gastaram tanto com um só jogador.

Como comparação, Thiago Alcântara trocou o Barcelona pelo Bayern de Munique, em meados de 2013, por 25 milhões de euros. À época, o mais velho dos irmãos Alcântara tinha os mesmos 22 anos que Rafinha comemorou em fevereiro. O antigo contrato do caçula, que vencia em 2016, previa uma multa de 30 milhões de euros.

A renovação do meia-atacante vem num momento em que ele não pode jogar. Depois de estrear pela seleção brasileira - caminho diferente do irmão, que defende a Espanha -, Rafinha sofreu grave lesão no joelho diante da Roma, pela Liga dos Campeões. O jogador passou por cirurgia e só volta a jogar no ano que vem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.