Mãe de Robinho fica reclusa em Santos

Enquanto Robinho já trabalha normalmente com o elenco santista em São José do Rio Preto, a sua mãe, Marina da Silva Souza, ainda não saiu de seu apartamento, no bairro da Pompéia, em Santos, para onde foi na tarde de sexta-feira após ser libertada pelos seqüestradores. Marina acordou cedo neste sábado, tomou café da manhã e voltou a descansar, sob efeito de calmantes. Seu marido, Gilvan de Souza, porém, manteve a rotina, sem se preocupar muito com a segurança: foi a pé à feira e, por volta das 10h30, deixou o prédio, dizendo que sua mãe o havia chamado com urgência.Ao deixar o prédio, Gilvan chegou a abrir o vidro do carro, cumprimentou os jornalistas e disse que sua esposa ainda estava muito abalada com o seqüestro. "O médico receitou e ela está tomando calmantes", comentou o pai de Robinho, acrescentando que, naquele momento, ela estava dormindo. Segundo Gilvan, Marina não deve sair de casa nos próximos dias. Mesmo dentro do prédio, ela está isolada e o porteiro tem ordem de nem tocar o interfone no apartamento. As flores que está recebendo estão sendo deixadas na porta e os vizinhos revelam que só irão visitá-la dentro de alguns dias, quando estiver recuperada dos 41 dias em esteve seqüestrada.Só alegria - Enquanto isso, Robinho está de alto-astral em Rio Preto. O jogador seguiu na tarde de sexta-feira mesmo, logo após reencontrar sua mãe, para a cidade onde o Santos enfrentará o Vasco, neste domingo, pela última rodada do Brasileiro. Depois do treino, ele, inclusive, foi confirmado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo no time titular.Na manhã deste sábado, o Santos fez um treino recreativo no estádio Teixeirão, local da partida de domingo. E Robinho foi novamente o destaque. Brincando o tempo todo com os companheiros, ele fez belas jogadas e mostrou estar entusiasmado para levar o Santos ao título brasileiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.