EFE
EFE

Magnata sul-coreano também será candidato à presidência da Fifa

Chung Mong-joon quer suceder Blatter e critica Platini

AFP

30 de julho de 2015 | 07h20

O magnata sul-coreano, Chung Mong-joon, ex-vice-presidente da Fifa, será candidato a presidente da entidade na próxima eleição, segundo a agência AFP. Personagem-chave do futebol asiático, Chung Mong-joon irá concorrer com o francês Michel Platini, que confirmou sua candidatura nesta quarta-feira. O pleito que decidirá o sucessor de Joseph Blatter será em fevereiro de 2016.

"Em quatro anos, espero poder realizar meu programa e transformar a Fifa em uma verdadeira ONG do esporte, aberta, transparente, moral, ética e verdadeiramente mundial", disse o executivo de 63 anos em entrevista em Seul. "Se for eleito, foi introduzir mais transparência. Tratarei de eliminar a corrupção."

Chung Mong-joon, que deverá confirmar sua candidatura oficial na próxima semana, é membro da família proprietária da Hyundai. Multimilionário, o sul-coreano é notório oponente de Blatter e não vê Platini como um bom sucessor. "Platini é bom para o futebol, mas é um bom presidente para Fifa? Creio que não. É um produto do sistema da Fifa."

Os candidatos a presidentes da Fifa devem apresentar sua candidatura quatro meses antes da eleição, marcada para o dia 26 de fevereiro de 2016. O ex-jogador Zico também já manifestou interesse em se candidatar. O príncipe da Jordânia, Ali bin Al Hussein, único que disputou a última eleição com Blatter, deve tentar novamente o posto de presidente da Fifa.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolFifaBlatterPlatini

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.