Mago Valdivia quebra o silêncio e revela: ´Sou louco´

Demorou cinco meses para que Jorge Valdivia aceitasse falar com a imprensa brasileira. Depois do treino deste domingo, ele resolveu quebrar o silêncio e concordou em dar entrevistas, mas esnobou as câmeras e microfones das emissoras de TV, dizendo que não gosta de aparecer. ?Os grandes jogadores são loucos, como Maradona e Edmundo. Eu? Também sou louco. Mas não me sinto à vontade falando, só costumo dar entrevistas na seleção do Chile porque a gente é obrigado", explicou o chileno, que já caiu nas graças da torcida, mesmo sem ter marcado um gol sequer pela equipe. Desconhecendo a causa da simpatia da torcida, ele diz que ficou feliz, mas que está consciente da responsabilidade. "Um dia estava no banco de reservas e ouvi gritarem meu nome. Foi legal, fiquei feliz. É muito bom esse carinho, mas ele acaba quando a torcida vê que o jogador está fraco, sem vontade. Tem que ter dedicação".Valdivia disse que gostaria de vestir a camisa 10 do Palmeiras - até agora ele entrou como titular com a 11, enquanto Juninho, que foi para o Flamengo, usava o número. "Gosto muito da 10. Não vou pedir, mas se pudesse usá-la seria maravilhoso. Ela representa tudo."Com contrato até 2011 com o Palmeiras, o chileno admite que não sabe se permanecerá todo esse tempo, mas diz que não sairá antes de ser campeão com o Palmeiras. "Quero que seja como no Colo-Colo, quando ganhei um título antes de partir. Quero ser campeão, seja no Paulista, na Copa do Brasil ou no Brasileiro", diz o jogador, que já teve experiências no Rayo Vallecano, da Espanha, e no Servette, da Suíça. "Não quero voltar à Europa sem antes dar um título para o Palmeiras", promete.Valdivia se diz já adaptado a São Paulo, apesar do trânsito problemático da cidade, e diz que vive um momento especial: depois de consolidar na Igreja seu casamento, será pai. "Foi um fim de ano perfeito", festeja.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.