Magrão já admite deixar o Palmeiras

Assim que acabou o jogo, Magrão reuniu os jogadores no gramado e falou: "Saímos da Segunda Divisão e chegamos à Libertadores." Em seguida, ao sair da rodinha, disse: " Agora posso ir embora". A torcida gritava seu nome e Magrão dava declarações de que pode estar deixando o Palmeiras. Ele admitiu que tem propostas do futebol europeu e que pode aceitar uma delas. "Sempre falei que quando pintasse algo de concreto eu falaria. Pintou. Talvez esteja na hora de sair. Vamos ter algumas conversas esta semana", disse Magrão, emocionado com a reação da torcida, que o aplaudiu de pé e pediu para que ele ficasse. "Vendo isso, dá até vontade de ficar. Essa torcida é maravilhosa. E nunca vou me esquecer deste clube. Foram cinco anos. Cinco anos é uma vida." O volante foi o único aplaudido pela torcida.E isso desde o começo do jogo. Apesar da vitória, parte da torcida, em especial os membros da organizada Mancha Alviverde, parece ter ido ao Parque só para pegar no pé de alguns jogadores. Com 22 minutos de jogo - o último do time em casa neste ano -, ainda com o placar em 0 a 0, Lúcio, Diego Souza e Thiago Gentil já eram vaiados. Estevam Soares também não foi perdoado - foi chamado de burro. "Acho que o protesto não é válido", reclamou Gentil. "A torcida tem de reconhecer que estamos prestes a garantir uma vaga na Libertadores", emendou o atacante, que continuou sendo vaiado mesmo após fazer um gol e beijar o símbolo do clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.