Magrão mostra novo estilo de jogo

O aviso vem de Vanderlei Luxemburgo: há um outro Magrão nos campos de futebol. Um Magrão mais preocupado em jogar bola do que em acertar as canelas dos adversários. "Conversei muito com ele e consegui que se transformasse em uma boa opção de saída de jogo. O gol do Itamar contra a Portuguesa, na semana passada, foi um passe do Magrão, que estava na área do adversário", disse o treinador do Palmeiras. "Antes eu batia, agora só apanho", concordou Magrão. "Com a chegada do Vanderlei, eu passei a receber outras instruções. Marco atrás, mas também tenho a liberdade de apoiar o ataque. Assim, saiu o gol que fiz contra o São Paulo. Recebi o passe do Alex e chutei, estava lá, na área deles, como atacante", lembrou. Magrão não tem do que reclamar com o novo posicionamento. "Eu sei jogar bola e estou mostrando isso. Faço bem menos faltas e as pessoas já estão percebendo o meu potencial", festejou. A mudança de Magrão é um dos pontos que Luxemburgo tem acrescentado ao futebol do Palmeiras. Depois de três técnicos com uma opção tática defensiva, o treinador tem feito de tudo para mudar o estilo palmeirense. Ele chegou a confidenciar a amigos que se assustou nos primeiros dias de treinamento quando assumiu o clube em fevereiro. O grito mais ouvido era "pega, pega" e nunca "toca, toca", constatou Luxemburgo, que logo começou às mudanças. O jogo contra o São Paulo, na última quarta-feira, solidificou a presença de três volantes no time. Um deles, Paulo Assunção, ganha força junto ao treinador por ser um marcador implacável, com muito fôlego, o que lhe permite cobrir as duas laterais do campo. Magrão e Claudecir, que já atuaram juntos no São Caetano, além da marcação, devem conduzir a bola verticalmente até o campo adversário. Claudecir, esquecido por Celso Roth e Marco Aurélio - tinha fama de "peladeiro" - ganhou, com Luxemburgo, o status de titular. Quando precisa soltar mais o time, o treinador do Palmeiras troca Magrão ou Claudecir por Juliano. Alex ganha, então, um parceiro para a criação de jogadas. Com essas opções, Luxemburgo já pensa na armação da equipe para o jogo contra o Guarani, domingo. "Queremos o primeiro lugar e a vitória nessa partida vai ser muito importante para isso", afirmou o treinador. Ele acredita que faltam dois pontos para que o Palmeiras garanta a classificação entre os quatro primeiros do Rio-São Paulo. "E também vamos ficar entre os três primeiros paulistas na competição. Isso garante que a gente possa disputar o supercampeonato paulista contra o campeão do Interior", explicou. Luxemburgo disse que a luta por uma classificação precoce não é nenhuma compensação pela surpreendente desclassificação na Copa do Brasil, contra o Asa de Arapiraca. "Nada disso. Sempre quero estar bem em todos os torneios. Se anda estivesse na Copa do Brasil, seria uma meta a mais para nós. E lutaremos sempre para ganhar tudo", avisou.

Agencia Estado,

24 Março 2002 | 17h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.