Themba Hadebe/AP
Themba Hadebe/AP

Maicon é um dos principais temores de capitão dos EUA

Carlos Bocanegra afirma que o lateral-direito da seleção brasileira sempre chega muito bem no ataque

Agencia Estado

26 de junho de 2009 | 16h30

JOHANNESBURGO - O Brasil sempre foi conhecido por suas estrelas ofensivas. Somente nesta seleção que disputará a final da Copa das Confederações, no domingo, é possível citar Kaká, Luis Fabiano, Robinho e Alexandre Pato como jogadores mundialmente reconhecidos. No entanto, para o capitão da seleção norte-americana Carlos Bocanegra, um dos principais perigos vem de trás. Mais precisamente, da lateral-direita.

Veja também:

linkDunga elogia seleção e lembra que objetivo está perto

Copa das Confederações 2009 - tabela Classificação

Copa das Confederações 2009 - lista Calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Maicon é definitivamente um dos jogadores mais importantes que chegam ao ataque, mas eles têm alguns jogadores que também precisamos prestar muita atenção", assegurou o capitão.

Segurar o lateral brasileiro será um passo importante para a seleção norte-americana conquistar um feito inédito: seu primeiro título em competições mundiais. "O time está bem e tem a oportunidade de vencer seu primeiro campeonato. Disputar a final já é subir um importante degrau, ainda mais por jogar contra um time como o Brasil", afirmou o técnico Bob Bradley.

Na semifinal entre Brasil e África do Sul, o treinador esteve atento para analisar melhor seu próximo adversário. E, observando a África do Sul jogar, pode ter encontrado a solução de como marcar a seleção brasileira - na primeira fase da competição, os EUA perderam de 3 a 0 para os brasileiros. "Acho que a África do Sul fez um grande trabalho ao neutralizar o Brasil. Eles encurtaram a distância entre o meio e a defesa, então Robinho e Kaká precisavam atravessar todo o campo para procurar a bola", explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.