Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Maicon quer provar em campo que pode estar na seleção

Lateral-direito quer aproveitar oportunidade após o corte da equipe do rival Daniel Alves

ALMIR LEITE, Agência Estado

04 de setembro de 2013 | 14h09

BRASÍLIA - Falar pouco e mostrar do que é capaz na prática. É com essa disposição que o lateral-direito Maicon volta à seleção brasileira. Ainda mais porque, com a contusão e o corte de Daniel Alves, viu crescer a possibilidade de começar como titular a partida amistosa de sábado diante da Austrália, às 16h15, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Ele sabe que há alguma desconfiança em relação à sua condição técnica, após bom período às voltas com problemas físicos e alguns escorregões fora de campo, e por isso prefere não alardear o que pode fazer nesse seu retorno. "Eu tenho de receber a oportunidade para estar dentro de campo e procurar mostrar o meu trabalho. Não vou ficar falando. Se eu jogar, aí vão poder ver como eu estou", disse o jogador.

Aos 32 anos, Maicon garante que jamais considerou que seu ciclo na seleção havia terminado durante o período de dois anos em que ficou afastado, primeiro com Mano Menezes no comando e depois na fase inicial do trabalho de Luiz Felipe Scolari. "Jamais pensei em deixar de vestir a camisa do meu País. E agora que estou de volta, vou procurar fazer o melhor, como sempre. Tem dias que as coisas saem como a gente quer, em outros não. Mas espero que tudo ocorra bem, como das outras vezes."

Maicon reconheceu que não poderia mesmo ter voltando antes à seleção, pois sua temporada passada, por exemplo, foi bem ruim, prejudicada por uma grave contusão logo que chegou ao Manchester City. "No passado não tive uma boa temporada pelo meu clube", admitiu. "Esse ano não: fiz uma boa pré-temporada (está na Roma), estou bem preparado e se for escolhido para jogar pela seleção, estarei pronto para fazer o máximo."

O lateral-direito sempre esteve nos planos de Felipão, mas garantiu que fazia muito tempo não tinha contato com o técnico. "A última vez que falei com ele foi muito antes da convocação. Mas desde que fui contratado pela Roma procurei trabalhar, voltar ao meu melhor nível, para ter oportunidade", disse. "Não só o Felipão, mas toda a comissão técnica da seleção sabe o que acontece no clube. Eles devem ter contato com alguém da Roma, que não sei quem é, e sabem que batalhei muito para receber esta oportunidade.''

A seleção brasileira volta a treinar na tarde desta quarta-feira, por volta das 16 horas, no Centro de Capacitação Física do Exército em Brasília. Felipão vai começar a definir o time para enfrentar os australianos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolseleção brasileiraMaicon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.