Claudio Reyes/AFP
Claudio Reyes/AFP

Mainz afirma que pretende negociar Jara após 'mão boba'

'Odeio mais do que tudo essa teatralidade', diz dirigente alemão

Estadão Conteúdo

26 de junho de 2015 | 10h21

A "mão boba" de Gonzalo Jara em Edinson Cavani pode custar caro ao jogador chileno. Após o ato provocativo do jogador chileno ao atacante uruguaio, em partida válida pelas quartas de final da Copa América, a direção do Mainz revelou a intenção de negociar o defensor e disse estar aberta a ouvir propostas.

O gerente-geral do Mainz, Christian Heidel, condenou a atitude de Jara. "Nós não toleramos isso. Mais do que a atitude, o que veio depois é o que me deixou louco. Eu odeio mais do que tudo essa teatralidade", disse o dirigente em entrevista ao jornal alemão Bild.

Durante a partida, Jara discute com Cavani e cutuca as nádegas do jogador uruguaio. O atacante, então, reage com um leve tapa no chileno, que cai no chão. O árbitro Sandro Meira Ricci, que parece não ter visto a provocação de Jara, expulsou Cavani. "Ele sabe que se uma oferta vier, ele pode ir", completou o dirigente do Mainz.

Jara chegou ao clube alemão em 2014, vindo do inglês Nottingham Forest, e ainda tem um ano de contrato com o Mainz. Além do seu futuro em dúvida na sua atual equipe, o chileno pode de ficar fora da reta final da Copa América, pois a Conmebol anunciou que a sua comissão disciplinar vai avaliar a atitude do zagueiro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolMainzJaraCopa América

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.