Felipe Oliveira / EC Bahia
Felipe Oliveira / EC Bahia

Mais tranquilos no Brasileirão, Bahia e Atlético-PR se enfrentam na Sul-Americana

No time tricolor, Gilberto é dúvida e pode ser substituído por Edigar Junio; No rubro-negro, Lucho González deve retornar ao time titular

Estadão Conteúdo

24 Outubro 2018 | 06h46

Após conseguirem se afastar da briga contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, Bahia e Atlético-PR voltam as atenções para a Copa Sul-Americana. Nesta quarta-feira, os times brasileiros fazem um duelo nacional na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), na partida de ida das quarta de final.

O Bahia é o 11º colocado do Brasileirão com 37 pontos, enquanto o Atlético está em oitavo com 40. Como o primeiro time dentro da zona da degola é o Ceará, com 31 pontos, o risco de rebaixamento já é pequeno e ambos podem se focar na busca pelo inédito título continental.

A equipe baiana começou a competição eliminando o Blooming, com uma derrota por 1 a 0 na Argentina e goleada por 4 a 0 em casa. Na sequência, passou pelo Cerro, do Uruguai, com vitória por 2 a 0 e empate por 1 a 1. Nas oitavas de final, eliminou o Botafogo nos pênaltis após vitória e derrota pelo mesmo placar: 2 a 1.

Já o Atlético passou pelo Newells Old Boys com vitória por 3 a 0 em casa e derrota por 2 a 1 na Argentina. Na segunda fase, eliminou o Peñarol com duas vitórias: 2 a 0 na Arena da Baixada e 4 a 1 em pleno Campeón Del Siglo. Na última eliminatória, aplicou 2 a 0 e 2 a 1 no Caracas, da Venezuela, e garantiu presença nas quartas de final.

No Bahia, a principal dúvida do técnico Enderson Moreira é no comando de ataque. Gilberto sofreu uma pancada no joelho na partida do último sábado, contra o Grêmio, pelo Brasileiro, e pode ser poupado, dando lugar a Edigar Junio, justamente o autor do gol que levou a decisão contra o Botafogo para os pênaltis, nas oitavas.

Outra dúvida é no meio-campo, com Paulinho e Vinícius disputando uma vaga entre os titulares para dividir a responsabilidade de armação com Zé Rafael e Ramires. Os volantes Gregore e Nilton completam o setor.

"O Atlético é um adversário complicado, que tem conquistado muitos pontos no segundo turno do Brasileiro. Mas a Sul-Americana é uma competição diferente. A gente já tem convocado o torcedor para nos apoiar e tenho confiança que podemos fazer um grande jogo", analisa Enderson.

Já o técnico Tiago Nunes não deve fazer nada de muito diferente em relação ao time que vem atuando pelo Atlético-PR. A única alteração em relação ao time que empatou por 0 a 0 com o São Paulo, pelo Brasileirão, deve ser o retorno do experiente Lucho González no lugar de Wellington no meio-campo.

"Vai ser um jogo difícil, com a Fonte Nova lotada, mas temos uma equipe experiente e jogadores com bagagem, acostumados a decisões. Estamos confiantes para fazer dois grandes jogos contra o Bahia", projeta o atleticano.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.