Makudi processará ex-presidente da associação inglesa

Membro do comitê executivo da Fifa, Worawi Makudi contratou advogados para processar David Triesman, ex-presidente da Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês), por tê-lo acusado de suborno. Worawi, que também é presidente da Associação de Futebol da Tailândia, negou as acusações de Triesman de que ele exigiu os direitos de transmissão televisiva de um amistoso entre Tailândia e Inglaterra em troca de apoio à candidatura da Inglaterra para sediar a Copa do Mundo de 2018.

AE-AP, Agência Estado

16 de maio de 2011 | 10h48

Worawi foi um dos quatro executivos da Fifa acusados por Triesman de pedir dinheiro em troca de apoio à candidatura da Inglaterra. "As acusações não são verdadeiras e são infundadas", disse Worawi. "Eu tenho que falar porque a minha reputação foi manchada e isto difama a minha família". "Eu tenho que tomar medidas legais para resgatar o meu nome e a honra de minha família".

O dirigente da Tailândia disse que pretende apresentar acusações contra Triesman em um tribunal britânico, e contratou a empresa jurídica Watson, Farley e Williams, que tem escritórios em Londres e Bangcoc. "Não posso dizer muito, tenho que ser prudente com o processo", disse Worawi. "Eu tenho uma equipe legal para lidar com este caso e eles estão reunindo provas. Eu acredito que eu tenho provas essenciais para provar o meu caso".

Entre as provas que ele citou, está um comunicado da FA estabelecendo condições para a proposta de realização do amistoso entre Tailândia e Inglaterra, uma nova declaração da FA expressando pesar por ter de cancelar o amistoso e uma carta de agradecimento após o encerramento do processo de negociação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.