Mal-amado, Dodô quer jogar no exterior

Dodô já tomou soco de torcedor quando jogava no São Paulo e foi chamado de mercenário no Santos, clube que há dois anos pagou US$ 5,5 milhões para tê-lo em seu elenco. Mesmo assim, garante não ter mágoas das torcidas dos dois principais clubes que defendeu até agora em sua carreira. De bermuda, descalço, aproveitando os últimos dias de férias em sua casa, num condomínio de luxo da Grande São Paulo, ele sonha com uma transferência para a Europa e assume sua parcela de culpa em mais um fracasso do Santos. Só não aceita uma coisa: ser responsabilizado pela desclassificação do time do Campeonato Paulista.Leia mais no Estadão

Agencia Estado,

17 de junho de 2001 | 09h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.