Nicolas Tucat/AFP
Nicolas Tucat/AFP

Malcom busca dividir atenção com Neymar em duelo entre PSG e Bordeaux

Considerado uma das promessas do futebol mundial, atacante enfrenta o grande craque brasileiro do momento

Daniel Batista e Felippe Scozzafave, O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2017 | 21h08

Paris Saint-Germain e Bordeaux se enfrentam neste sábado, no Parque dos Príncipes, às 12h (horário de Brasília), colocando frente a frente um craque do futebol mundial, Neymar, e uma promessa que vive seu melhor início de temporada na Europa, Malcom. O ex-jogador do Corinthians sabe que os holofotes estarão do outro lado e espera aproveitar a visibilidade para também mostrar o seu talento.

Procura de brasileiros por ingressos do PSG aumenta 21 vezes em 2017

"Acredito que a chegada do Neymar aumentou a valorização da competição, que será ainda mais vista em todo o mundo", comentou sobre o Campeonato Francês, em entrevista exclusiva ao Estado.

Neymar tem feito bonito em seu novo clube, mas Malcom também não deixa a desejar. Em nove jogos na temporada, foram três gols e quatro assistências. Embora tenha apenas 20 anos, o atacante já tem uma experiência de quase três temporadas no Bordeaux, por isso inicia o Francês como um dos destaques da equipe.

"Estou em um bom momento e acredito que ainda tenho como crescer. Estou mais maduro e também bem adaptado. O entrosamento com o grupo e a minha total adaptação estão contribuindo para que eu consiga mostrar meu futebol. Estou feliz", contou.

Brasil é o país que mais fez gols na Liga dos Campeões até aqui; veja artilheiros

Para evitar surpresas, a diretoria do Bordeaux comprou os 15% dos direitos econômicos do atleta que ainda pertenciam ao Corinthians e acertou sua renovação de contrato até 2021. Na última janela de transferências, Manchester United e Liverpool chegaram a sondá-lo.

"O presidente conversou sobre interesse de alguns clubes. Ele explicou que gostaria de contar comigo no Bordeaux. Acredito também que ainda não era hora de sair. Estou em um bom momento e evoluindo aqui", disse Malcom.

Em 2015, quando ainda defendia o Corinthians na briga pelo título do Brasileirão, Malcom chegou a falar que tinha Robinho (do Atlético-MG) e Neymar como exemplos. Hoje, enfrenta o ídolo. "O Neymar é uma referência e eu o admiro muito. Que ele faça um bom trabalho no PSG, menos quando jogar contra nós (risos)", brincou o garoto, que não pensa duas vezes ao apostar no vencedor do prêmio de melhor de mundo da Fifa: "Todos são grandes jogadores, mas vou torcer pelo Neymar." Os outros dois atletas que disputam o prêmio são Messi e Cristiano Ronaldo.

Paz selada? Neymar diz que 'está tudo certo' entre ele e Cavani: 'Inventam histórias'

Se hoje, Malcom é considerado um dos craques do Campeonato Francês, figurando quatro vezes no time ideal da liga neste início de temporada, nem sempre foi assim. "No início foi um pouco difícil, até pelas diferenças culturais, mas aqui na França tem muitos jogadores sul-americanos que me ajudaram bastante no dia a dia. Com relação ao idioma, o clube me ofereceu um curso de francês e hoje já consigo me comunicar."

Franzino, sofreu para ganhar massa muscular. "Nas partes técnica e tática, o que mais precisei intensificar foi o físico, já que o futebol aqui é mais pegado, de contato. Hoje, estou totalmente adaptado ao futebol europeu", explicou.

ORIGENS

Realizado, mas sem esquecer das origens, ele continua ligado no futebol brasileiro, principalmente no Corinthians, clube em que foi revelado e conquistou o Campeonato Brasileiro em 2015. "Eu acompanho os jogos sempre que posso. No último fim de semana, eu vi o clássico contra o São Paulo e mantenho amigos por lá."

Com um início tão bom de temporada e a experiência adquirida na França, Malcom começa a sonhar com a seleção brasileira. Ele destaca que sua preocupação é continuar o bom trabalho no Bordeaux e que uma convocação deverá ser algo natural. Mas sabe que é muito difícil ter uma oportunidade antes da Copa de 2018. "Acredito que tudo tem o seu tempo. Estou tranquilo e trabalhando muito aqui no Bordeaux para ser notado. E se o Tite acreditar que eu mereça um lugar na seleção brasileira, ficarei muito feliz", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.