Maldonado pede para Flamengo 'matar sensação ruim'

O volante Maldonado afirmou nesta quarta-feira que o Flamengo tem a obrigação de buscar duas vitórias nas duas rodadas finais do Campeonato Brasileiro para encerrar a temporada de maneira digna. Em um ano marcado por fracassos após o título nacional obtido em 2009, a equipe carioca enfrenta o Cruzeiro no próximo domingo, em Volta Redonda, e depois fecha a sua participação no torneio no dia 5 de dezembro, contra o Santos, na Vila Belmiro.

AE, Agência Estado

24 de novembro de 2010 | 16h25

"Temos que voltar a sonhar. Tudo o que passamos de ruim neste ano temos de esquecer. Vamos fazer tudo aquilo que for possível no jogo de domingo. Olhando para trás, você vê que o time tem qualidade. Não é possível que esteja na parte de baixo da tabela. Vamos fazer um grande jogo e matar de vez esta sensação ruim", afirmou o jogador, que lembrou que o Flamengo ainda não livrou totalmente o risco de rebaixamento na competição, apesar de estar confiante de que conquistará uma vaga para a próxima Copa Sul-Americana.

"Esse jogo (contra o Cruzeiro) é fundamental para nós. Sabemos da nossa responsabilidade de não deixar o Flamengo ser rebaixado. Não passa pela nossa cabeça. Sabemos que pode acontecer, mas temos de ter toda a atenção", completou Maldonado.

Com a experiência de quem já disputou vários Brasileiros e hoje está com 30 anos de idade, o chileno aproveitou para enumerar as virtudes que o Flamengo terá de apresentar diante dos cruzeirenses. "Nossa concentração, equilíbrio dentro de campo e tranquilidade serão fundamentais. Será um jogo difícil, muito difícil para nós. Precisamos somar pontos neste jogo. Temos de ter todos os cuidados para levar o jogo e ganhar. Depois do que passamos neste ano, manter a cabeça no lugar e somar pontos é imprescindível", alertou o atleta, reafirmando que uma vitória poderá "apagar tudo aquilo de ruim" que o clube viveu na temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.