Manaus adia obras de estádio para a Copa de 2014

No primeiro dia do seminário realizado no Rio de Janeiro e que reuniu nesta quarta-feira uma comissão da Fifa e representantes das 12 cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014, Manaus anunciou que começará as obras do estádio da capital apenas em março. Duas semanas atrás, a secretária-administrativa do Comitê Organizador da Copa no Brasil, Joana Havelange, afirmou que as obras de todos os 12 estádios teriam de ser iniciadas até fevereiro de 2010.

BRUNO LOUSADA, Agencia Estado

19 de agosto de 2009 | 20h20

"Vamos demolir o Vivaldão em dezembro ou janeiro. E construir o estádio novo a partir de março. A conclusão será em dezembro de 2012, pois queremos ser sede da Copa das Confederações [em 2013],", disse o secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento Econômico do Amazonas, José Marcelo de Castro Lima Filho.

A construção do novo estádio, cujo nome ainda não está definido e a capacidade é para 47 mil pessoas, vai custar R$ 400 milhões, com recursos públicos do Estado. "Vamos reduzir drasticamente o custo, com a retirada do teto retrátil e do granito que seria colocado em torno do estádio. Vamos usar materiais mais baratos", prosseguiu Lima Filho. A previsão inicial era de que Manaus gastaria R$ 580 milhões com o estádio.

Manaus foi a primeira das 12 cidades a se apresentar à comissão da Fifa no seminário realizado em um hotel da zona oeste do Rio. Fortaleza, Natal e Belo Horizonte também mostraram as adaptações feitas em seus projetos originais. O seminário continua nesta quinta-feira, com outras seis cidades que vão expor mudanças aos integrantes da Fifa.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do Mundo de 2014Manaus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.