Manchester City registra seu 1º lucro desde que foi adquirido em 2008

O Manchester City apresentou nesta quarta-feira o seu balanço financeiro da última temporada e revelou que registrou lucro pela primeira vez desde que o clube foi comprado por um membro da família real de Abu Dabi em 2008.

Estadão Conteúdo

14 de outubro de 2015 | 16h17

A equipe do xeque Mansour bin Zayed Al Nahyan revelou um lucro de 10,7 milhões de libras (aproximadamente R$ 63,4 milhões) durante o ano financeiro 2014/2015, cobrindo uma temporada em que o time não teve sucesso em campo, pois não conquistou nenhum título. No ano anterior, quando foi campeão inglês, o Manchester City teve prejuízo de 22,9 milhões de libras (R$ 135,7 milhões).

O lucro foi registrado mesmo numa temporada em que o Manchester City foi multado pela Uefa por violar as regras do Fair Play Financeiro, fruto dos investimentos pesados realizados para conseguir montar um time competitivo para concorrer com rivais mais consolidados.

Para registrar esse lucro, o Manchester City reduziu sua folha salarial para 193,5 milhões de libras (R$ 1,147 bilhão) e gerou uma receita recorde de 351,8 milhões de libras (R$ 2,085 bilhões), aproximando-se do rival Manchester United, cujo volume de negócios foi de 395 milhões de libras (R$ 2,341 bilhões) no mesmo período.

Assim, o clube se vê cada mais perto de mudar a hierarquia de Manchester, mas reconhece que precisa conquistar títulos nesta temporada. "O fato de que nós consideramos a última temporada como sendo abaixo do nível para o Manchester City é um testemunho de quão longe chegamos nos últimos sete anos", disse Khaldoon Al Mubarak, presidente do Manchester City, no relatório financeiro. "Este é um nível de ambição que não devemos nos esquivar ou fugir dele. O certo é termos expectativas elevadas", acrescentou o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.