Frederic Schedeimann / EFE
Frederic Schedeimann / EFE

Manchester City volta a derrotar o Dortmund e encara o PSG na semifinal da Liga dos Campeões

Equipe inglesa repete o placar do jogo de ida (2 a 1) e garante classificação para enfrentar Neymar e companhia

Ricardo Magatti, especial para o Estadão

14 de abril de 2021 | 18h08

O Manchester City voltou a derrotar o Borussia Dortmund, novamente por 2 a 1, e se garantiu nas semifinais da Liga dos Campeões pela segunda vez em sua história. No Signal Iduna Park, na Alemanha, o time inglês conquistou o triunfo de virada nesta quarta-feira, com gols de Mahrez e Foden, ambos no segundo tempo. Os alemães começaram melhor e marcaram com o jovem Bellingham, mas não sustentaram a vantagem e foram eliminados em casa.

No placar agregado, o City avançou ao fazer 4 a 2 - 2 a 1 em casa e o mesmo placar na Alemanha. Nas semifinais, a equipe de Pep Guardiola enfrenta o Paris Saint-Germain em um duelo entre duas equipes que nunca venceram a principal competição de clubes da Europa. O outro confronto opõe Chelsea e Real Madrid.

Guardiola mandou o Manchester City a campo com uma escalação semelhante a que iniciou o primeiro jogo, na Inglaterra. Sterling e Gabriel Jesus novamente começaram no banco. Na lateral esquerda, Zinchenko ganhou a disputa com Cancelo.

O time inglês dominou a maior parte do primeiro tempo, criou mais oportunidades e teve com a chance mais clara de gol no chute de De Bruyne no travessão. No entanto, o Borussia Dortmund foi mais efetivo e aproveitou para abrir o placar no início do jogo, período em que foi superior. 

O gol saiu aos 14 minutos. No lance, Haaland foi lançado na direita, protegeu da marcação e rolou para Dahoud, que foi bloqueado na hora da finalização. Mas a bola sobrou para Bellingham que ajeitou dentro da área e bateu colocado. Ederson ainda encostou na bola, mas não o suficiente para impedir que ela entrasse.  

O volante se tornou o jogador mais jovem a marcar pela equipe alemã na Liga dos Campeões. Ele balançou as redes aos 17 anos e 289 dias de idade.

Na volta do intervalo, um erro individual de Emre Can mudou totalmente o panorama da partida. O meio-campista se abaixou para cortar cruzamento de cabeça, mas acabou encostando o braço na bola. O árbitro deu pênalti e o VAR referendou a marcação. Na cobrança, Mahrez bateu com força, no alto, e empatou o duelo aos nove minutos da etapa final.

Depois do empate, os visitantes recuaram e sofreram pressão dos anfitriões, que precisavam de mais um gol para levar a definição da vaga para as penalidades, e mais dois para conseguir a classificação. Mas, com Haaland bem marcado, e com dificuldade na criação, o Dortmund não foi capaz de acuar o rival. Hummels, de cabeça, foi quem chegou mais perto de marcar.

Mais organizado e com jogadores capazes de decidir, o City balançou as redes aos 29 minutos e chegou à virada. Após jogada ensaiada no escanteio, Foden recebeu no bico da grande área e acertou um chute potente, de esquerda, no canto esquerdo do goleiro Hitz. 

A bola ainda bateu na trave antes de morrer no fundo do gol e selar a virada, o triunfo e a classificação dos comandados de Guardiola, que, em vantagem no placar, não tiveram dificuldades para administrar o resultado diante de um já combalido Dortmund. Nos acréscimos, Sterling teve chance para marcar o terceiro, mas demorou demais para finalizar e desperdiçou a oportunidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.