Clive Rose/ AP
Clive Rose/ AP

Manchester United busca virada sobre o Tottenham e se vinga de goleada histórica

Equipe de Solskjaer segue na vice-liderança do Campeonato Inglês, enquanto comandados de José Mourinho se afastam da luta por vaga em competições europeias

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2021 | 15h25

Não foi por goleada, mas a virada do Manchester United sobre o Tottenham, neste domingo, teve um gostinho especial. Não apenas por diminuir a vantagem para o líder Manchester City para 11 pontos, mas por servir de vingança dos 6 a 1 em Old Trafford, no primeiro turno do Campeonato Inglês. Em casa, o time de José Mourinho acabou derrotado por 3 a 1.

Cavani, depois de ter um gol anulado de maneira questionável pelo VAR, fez o gol da virada, de cabeça, e ainda deu tempo para Greenwood fechar a vingança, no minuto final, num belo jogo de futebol. Com a vitória, o United chega a 23 jogos de invencibilidade jogando como visitante no Campeonato Inglês. Caminha para derrubar o recorde do Arsenal, de 27 visitas sem derrotas.

Foi um jogo aberto, disputado em altíssima velocidade e com chances de gols em ambos os lados. Tottenham e Manchester United fizeram um belo confronto neste domingo e ambos poderiam ganhar pelo produzido.

Após mais uma virada sofrida, o time de José Mourinho desperdiçou pontos preciosos e fica mais distante na briga por vaga na Liga dos Campeões, estacionando na sétima colocação. O United aproveitou a derrota rara do líder Manchester City, diante do Leeds, mas ainda segue muito distante: são 11 pontos atrás, apesar de um jogo a menos realizado.

O placar poderia ter sido 5 a 4, 4 a 3, 3 a 3, 4 a 4 ou mais, tamanho as chances criadas, sobretudo na etapa final. Lloris e Henderson fizeram grandes e impressionantes defesas.

O United entrou em campo com sentimento de vingança após ter levado 6 a 1 em pleno Old Trafford, no primeiro turno. Queria se vingar de maior surra em seu estádio e diminuir a vantagem do líder e rival City. E até tirou o zero do placar, com Cavani. O gol, porém, foi anulado pelo VAR por falta questionável de McTominay, acertando o rosto de Son. O sul-coreano, por sinal, foi quem abriu o marcador, logo depois, aproveitando bela trama de Lucas Moura e Harry Kane.

Se o primeiro tempo foi bom, o segundo ocorreu num ritmo alucinado. O United sufocou e, após duas lindas defesas de Lloris, viu o brasileiro Fred empatar. Era lá e cá e Son não fez outro por bela defesa de Henderson. Assim como Bruno Fernandes parou em novo milagre do goleiro francês.

Os goleiros trabalharam acima do normal até o fim, mas quem sorriu foi Henderson. Segurou o ataque do Tottenham, viu uma bola acertar sua trave e ainda festejou quando Cavani cabeceou no canto e Greenwood bateu forte, ambos sem chances para um gigante Lloris.

O United agora soma 63 pontos, em segundo. O Tottenham, que chegava aos 52 e passava o Liverpool nos critérios de desempate quando abriu 1 a 0, permaneceu com 49 com a virada, se mantendo em sétimo, a cinco da última vaga da Liga dos Campeões, que hoje seria do West Ham.

SHOW DE LINGARD

O West Ham deu mais um gigante passo em sua busca pela vaga na Liga dos Campeões. Retomou A quarta colocação graças à grande atuação de Lingard. O inglês segue dando show pelo clube. Neste domingo, fez dois gols na maiúscula vitória sobre o terceiro colocado Leicester, por 3 a 2.

Em nove jogos na nova casa, Lingard já anotou oito gols e deu outras três assistências. Ele colocou o West Ham em vantagem de 2 a 0 antes do intervalo. Bowen ampliou. O Leicester reagiu, com Iheanacho anotando duas vezes, mas não conseguiu buscar a igualdade.

Ambos agora estão separados por um ponto em bela briga entre três times por duas vagas, já que Manchester City e United estão em situação mais tranquila. O Leicester soma 56 pontos, diante de 55 do West Ham e 54 do Chelsea. O Liverpool, com 52, corre por fora, no sexto lugar, enquanto o Tottenham ficou mais distante, com 49.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.