Andrew Yates / Reuters
Andrew Yates / Reuters

Manchester United empata com Everton e perde chance de colar no Chelsea

Disputa pela quarta vaga na competição europeia ganha emoção com vitória do Wolverhampton sobre o Tottenham

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de março de 2020 | 14h20

O Manchester United desperdiçou neste domingo uma boa oportunidade de ficar a apenas um ponto da zona de classificação para a Liga dos Campeões da Europa. A equipe vermelha empatou por 1 a 1 com o Everton, em Liverpool, o que foi uma boa notícia para o Chelsea, quarto colocado do Campeonato Inglês.

O empate manteve o United na quinta colocação da competição, com 42 pontos, três a menos que o clube de Londres. A disputa pela última vaga da Inglaterra na Liga dos Campeões deve ser muito acirrada até o fim do campeonato, já que, além de Chelsea e Manchester United, Wolverhampton, Tottenham e Sheffield United também estão firmes na briga. É difícil, porém, que algum deles alcance o Leicester City, terceiro colocado, que está cinco pontos à frente do Chelsea.

O Everton, por sua vez, ainda sonha em entrar nessa disputa. O time cresceu muito desde a chegada do técnico italiano Carlo Ancelotti e, embora esteja na 11.ª colocação, encontra-se a cinco pontos da quarta colocação - distância que permite ao clube de Liverpool manter a esperança.

O jogo no Goodison Park, casa do Everton, começou com um erro grotesco do goleiro espanhol De Gea, do Manchester United. Ele recebeu um passe e resolveu mandar um chute para o campo de ataque, mas demorou demais e, quando o fez, acertou em cheio Dominic Calvert-Lewin, atacante do time da casa. A bola foi parar no fundo do gol.

Logo depois, o goleiro fez uma grande defesa em arremate de Calvert-Lewin, mas era difícil esquecer a falha bizarra. Sorte do espanhol que o United empatou ainda no primeiro tempo, aos 30 minutos, com um chute de fora da área do meia português Bruno Fernandes, ótima contratação feita em janeiro pelo clube. E ele contou com uma ajuda do goleiro do Everton, Pickford. Não foi um erro horroroso como o de De Gea, mas o chute era defensável.

As duas equipes buscaram o gol da vitória na etapa final e tiveram suas oportunidades, mas não as aproveitaram. Nos acréscimos, uma grande controvérsia: Calvert-Lewin, revelação do Everton, mandou a bola para a rede, mas o meia Sigurdsson, em posição de impedimento, estava sentado no gramado, bem à frente de De Gea, e tirou o corpo para a bola passar. O VAR, então, considerou que ele participou da jogada e o tento foi anulado.

Revoltado, o normalmente calmo Ancelotti reclamou muito com o árbitro após o fim da partida e acabou expulso.

Em Londres, o Wolverhampton conseguiu uma ótima vitória sobre o Tottenham: 3 a 2. Com isso, assumiu a sexta colocação, com os mesmos 42 pontos do Manchester United, deixando o adversário em sétimo, com 40. O Tottenham esteve duas vezes à frente no placar, mas os visitantes viraram o jogo no segundo tempo.

Doherty, Jota e Jiménez anotaram os gols do Wolverhampton, enquanto Bergwijn e Aurier marcaram para a equipe da capital inglesa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.